18 dez 2004 - 15h52

Vencer, meu Furacão

O Atlético entra em campo na tarde deste domingo para enfrentar o Botafogo. Será o último dos 62 jogos do clube na temporada 2004. Foram 36 vitórias, 14 empates, 11 derrotas, 133 gols marcados e 69 sofridos.

Foi um ano de sofrimento, privações e frustrações. Mas também foi um ano de alegria, de superação e de muita emoção. Não há o que reclamar da bela campanha do time no Campeonato Brasileiro. Na Arena da Baixada, o Atlético disputou 21 jogos, venceu 15, empatou 4 e perdeu apenas dois. No segundo turno, está invicto em casa. Aliás, o Atlético é o melhor time do returno.

Para fechar o ano com chave de ouro, o técnico Levir Culpi colocará em campo o time que se firmou, ao longo da competição, como o titular: Diego; Fernandinho, Marinho, Rogério Corrêa, Marcão e Ivan; Fabiano, Alan Bahia e Jadson; Washington e Denis Marques. Estará faltando apenas Dagoberto, que se machucou e foi substituído por Denis.

Do outro lado, estará o Botafogo, cuja principal atração será despedida do veteraníssimo Valdo. Será a última partida do meia, que encerrará a carreira neste domingo. O time carioca luta contra o rebaixamento.

Se depender dos atleticanos, o Bota terá de torcer por outros resultados para permanecer na Série A em 2005. Isso porque ninguém admite outro resultado que não a vitória neste domingo. O Atlético pretende terminar o Brasileiro com 88 pontos. Para ser campeão, o clube depende um tropeço do Santos contra o Vasco (derrota ou empate).

Porém, essa questão é considerada secundária pelos jogadores atleticanos. O foco estará em realizar um grande jogo, vencer a partida e encerrar o ano em comunhão com a torcida.

46ª rodada – Brasileiro – (19/12/04) – Atlético x Botafogo
L: Arena da Baixada; H: 16h; A: Carlos Eugênio Simon (RS).

ATLÉTICO: Diego; Fernandinho, Marinho, Rogério Corrêa, Marcão e Ivan; Fabiano, Alan Bahia e Jadson; Washington e Denis Marques. T: Levir Culpi.

BOTAFOGO: Jefferson; Ruy, Gustavo, Scheidt e Jorginho Paulista; Fernando, Túlio, Valdo e Caio; Ricardinho e Alex Alves. T: Paulo Bonamigo.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…