6 jan 2005 - 18h11

Um novo tempo, apesar dos castigos

A música de Ivan Lins é o resumo perfeito do significado do ano de 2004 para o Atlético. "Um novo tempo, apesar dos castigos", diz o refrão. Significa a conquista de um objetivo importante, a superação de uma fase. Um modo poético de expressar que, mesmo com dificuldades e sofrimento, chegou-se aonde se pretendia. Nossos castigos foram as perdas dos títulos paranaense e brasileiro. Uma derrota custou o título estadual ao Furacão e uma combinação de azar, equívocos e incompetência foi suficiente para impedir a conquista do bicampeonato brasileiro.

Foi difícil, mas o que é fácil para os atleticanos? Nunca nada foi fácil em 80 anos. Por isso, é preciso aprender com os erros, com os tropeços e crescer. Não tirar lições do que foi feito no passado representa o risco de cometer os mesmos erros no futuro. E isso ninguém pode admitir. Mesmo com os castigos, o Atlético chegou a um novo tempo. Um tempo em que o clube não é mais somente regional. Tem alcance nacional a ponto de despertar o ódio e a rivalidade dos principais clubes brasileiros. A ponto de dominar o espaço da mídia nacional durante três meses e ao nível até de gerar um movimento organizado destinado a impedir seu crescimento.

Nesse novo tempo, o Furacão se consolidou como uma das potências do futebol brasileiro. Não se pode negar a extraordinária estrutura, a administração planejada e os resultados obtidos pelo time principal. É tempo também de convocações para Seleção Brasileira, de títulos internacionais, como a Dallas Cup. Em 2005, o Atlético terá a grande chance de caminhar nesse caminho traçado nos últimos anos. Não podemos regredir. A disputa da Taça Libertadores da América – a terceira em cinco anos – é uma ótima oportunidade para alçar vôos ainda mais altos. É o que todos desejamos para 2005.

Pedidos de ano novo

Na virada de 2004 para 2005 você certamente comeu lentilha, uva e romã. Vestiu roupa branca, colocou dinheiro dentro do sapato ou pulou sete ondas. Mesmo não acreditando em simpatias, você deve ter pelo menos feito pedidos, promessas ou pensando em coisas boas que podem acontecer neste novo ano. Como atleticanos, nós também não poderíamos deixar de lembrar do Furacão neste momento. Por isso, fizemos uma lista de 10 proposições de novo ano, com fatos que gostaríamos de ver realizados em 2005:

1 – CONCLUSÃO DA ARENA DA BAIXADA
Pergunte a dez atleticanos qual o seu maior desejo e receberá dez respostas iguais: o término da Arena da Baixada. O estádio mais moderno do país é um orgulho para a nação rubro-negra, mas a felicidade só será realmente completa quando for derrubado o muro do colégio e concluída a reta oposta às cabines de imprensa. A tão esperada conclusão da Arena depende da resolução de um intrincado problema jurídico. O Atlético detém 50% do terreno sobre o qual está construído o colégio. Porém, a escola mantém um contrato de locação por mais alguns anos. A questão está sendo discutida judicialmente, mas sempre existe a possibilidade de um acordo solucionar o caso. Não custa nada esperar que essa solução ocorra neste ano…

2 – PAZ ENTRE DIRETORIA E TORCIDAS ORGANIZADAS
Um problema novo, mas que já se tornou um dos capítulos mais debatidos nos meios atleticanos. As diferenças de pensamento entre a diretoria do clube e as torcidas organizadas acentuaram-se em 2004 até atingirem patamares altíssimos – culminando inclusive com medidas judiciais de torcedores em face do clube. O aumento do preço dos ingressos seguido da proibição da entrada de instrumentos e de declarações infelizes acabaram detonando uma crise que só não foi maior graças à ótima campanha do time no Brasileirão. Em contrapartida, alguns torcedores exageraram no protesto e quebraram cadeiras da Arena na final do Paranaense, gerando desaprovação do restante da torcida. A solução para esse problema é simples. Somos atleticanos e todos queremos o bem do Furacão. Resta-nos torcer para que haja mais diálogo entre as partes e que se tomem decisões satisfatórias para todas as partes.

3 – ÓTIMA CAMPANHA NA LIBERTADORES DA AMÉRICA
O Atlético se consolidou como uma das equipes de ponta do futebol brasileiro. Investiu em infraestrutura, revelação de talentos e conquistou títulos. Agora, é hora de dar um passo adiante. A evolução rubro-negra passa por uma ampliação de horizontes, uma abertura ao mercado externo. De time regional, o Atlético passou a time nacional. Falta pouco para ser um clube de alcance internacional. Uma ótima oportunidade estará em jogo na Taça Libertadores da América. Todos sonhamos com o título, mas uma ótima campanha já será suficiente para marcar o nome do Furacão no continente. Mais experiente e com um projeto bem definido, a expectativa é de que o Atlético supere o desempenho de 2000.

4 – CONQUISTA DO TÍTULO DO CAMPEONATO BRASILEIRO
Em 2004 passou muito perto. Neste ano, o Atlético não pode almejar outra coisa que não o título nacional. A disputa pela primeira colocação do Brasileiro durante vários meses alçou o Furacão ao grupo dos maiores clubes brasileiros. Por isso, qualquer outra expectativa que não a conquista do título representa uma regressão. Nosso ideal é lutar pelo título, ainda que seja muito difícil conquistá-lo. Para isso, é preciso aprender com os erros cometidos no ano passado e repetir as várias medidas acertadas tomadas em 2004. O bicampeonato passou perto, mas pode ter sido adiado por pouco tempo.

5 – REVELAÇÃO DE PELO MENOS UM NOVO CRAQUE
Dagoberto, Jadson, Fernandinho. A lista de craques revelados nas categorias de base é extensa e dispensa apresentações. Manter a média de pelo menos um fora de série revelado por ano é algo quase impossível. Mas não custa tentar. Há várias promessas para ocupar o posto neste ano: Evandro, Anderson Aquino, Ticão, Marcus Winícius e Ricardinho. Todos esses já se destacaram nos juniores e nos juvenis. Muitos deles terão a oportunidade de despontar já no Campeonato Paranaense, comandados pelo competente Lio Evaristo. Será um excelente laboratório para se adaptarem ao time profissional e poderem reforçar o Atlético na disputa do Campeonato Brasileiro, a partir de abril.

6 – CONQUISTA DO TÍTULO DO CAMPEONATO PARANAENSE
Se a conquista do Campeonato Brasileiro é uma aspiração concreta, a conquistado título estadual é quase obrigação. Em 2004, o Atlético fez uma excelente campanha, mas perdeu no momento decisivo e ficou com o vice-campeonato. Neste ano, o time terá vários jogadores oriundos das categorias de base e será comandado por Lio Evaristo. A previsão é de que encontre mais dificuldades, mas a estrutura que o Atlético oferece é suficiente para exigir a disputa do título.

7 – AMPLIAÇÃO DO CT DO CAJU
De todos os desejos para 2005, este é o mais próximo de se realizar. Isso porque as obras de ampliação do CT do Caju já começaram no final do ano passado. Com parte do dinheiro da venda de Kleberson para o Manchester United, o Atlético construirá mais um hotel e campos de futebol. Há ainda a previsão de construção de um ginásio e de piscina coberta. Tudo isso será fundamental para tornar o CT auto-sustentável. Com isso, o clube terá a oportunidade de receber delegações internacionais durante todo o ano e melhorar ainda mais as condições para o time profissional e as categorias de base.

8 – CONVOCAÇÃO DE JOGADORES PARA A SELEÇÃO BRASILEIRA PRINCIPAL
Em 2003, três atleticanos foram chamados pra a Seleção Brasileira principal: Adriano, Ilan e Kleberson. Em 2004, passamos em branco. Vários atletas foram cotados e alguns até elogiados publicamente pelo técnico Carlos Alberto Parreira, mas não houve oportunidade para convocá-los. Por isso, a esperança é de que em 2005 pelo menos um seja chamado. O meia Jadson é quem está mais próximo, mas Fernandinho e Diego também são cotados para serem chamados a qualquer momento. Em compensação, diversos jogadores das categorias de base foram chamados para as seleções brasileiras amadoras, tanto dos infantis, quanto dos juvenis e juniores. Essa é uma tendência que também deve se confirmar neste ano.

9 – FORMAÇÃO DE UM ELENCO CONSISTENTE
A montagem de um bom time de um elenco consistente é quase uma condição indispensável para atingir outros objetivos listados anteriormente – conquista de títulos e boas campanhas. Porém, não deixa de ser uma aspiração autônoma. A formação de uma equipe começa desde os primeiros dias de janeiro, com contratações acertadas e a busca de jogadores para suprir as posições carentes do elenco. Além disso, é preciso saber aproveitar os talentos revelados pelas categorias de base. No ano passado, o Atlético sentiu a necessidade de um elenco maior e qualificado em várias posições. Em alguns jogos, faltaram jogadores de qualidade para manter o mesmo nível dos titulares. Esse é um erro que não pode ser repetido em 2005.

10 – MANUTENÇÃO DA COMISSÃO TÉCNICA POR TODA A TEMPORADA
Assim como o item anterior, este também é precedente a realização de boas campanhas. Depois da saída de Geninho, em 2002, o Atlético teve dificuldades para manter um treinador por mais de uma competição. Pior: desmontou toda a comissão técnica vitoriosa anteriormente. A fórmula vencedora já foi aplicada pelo clube em 2001, mas depois acabou sendo abandonada. É preciso manter uma comissão técnica do Atlético, com auxiliar técnico, preparador físico e treinador de goleiros. O técnico pode indicar um ou dois auxiliares de confiança, mas o importante é que todo o conhecimento de Atlético não seja desperdiçado a cada mudança de treinador.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…