23 jan 2005 - 11h32

Chance de ouro

Uma boa campanha no Paranaense requer um bom entrosamento de jogadores e comissão técnica, e nada melhor do que um time em que os atletas jogam juntos desde as categorias de base. Melhor ainda se o técnico também é o mesmo. No Atlético, Lio Evaristo já treinou seis dos onze titulares que disputam neste domingo a segunda partida da equipe no Campeonato Paranaense, contra o Francisco Beltrão, na Arena da Baixada. O convívio durante alguns anos faz com que os atletas sintam-se mais confortáveis para jogar sob o comando de Lio, mas isso não quer dizer que eles sejam menos cobrados do que os jogadores novos. "Ele tem a filosofia de trabalho dele. Ele cobra de todo mundo, mas com a gente ele tem mais intimidade do que com o pessoal que está chegando agora. Às vezes ele fala mais forte", comentou o volante Bruno Lança, que conheceu o treinador há três anos, quando chegou ao time júnior e que hoje é o capitão da equipe. O comandante tem opinião muito parecida. "Para mim é mais tranqüilo, fico mais seguro porque são jogadores que eu já conheço, mas os jogadores que chegaram também tiveram uma boa aceitação da comissão e me receberam de braços abertos", afirmou Lio.

Já o atacante Dinei destaca a chance que recebeu de Lio, já que retornou de empréstimo no início do ano e não estava nos planos do clube para o time principal. "A oportunidade que ele está dando é muito importante para seguir em frente no profissional. Acho que por eu já ter jogado com ele estou recebendo essa chance e quero dar o máximo para poder dar alegrias à torcida", disse. A mesma oportunidade recebeu o lateral-direita Murilo, que está no Atlético há sete anos e que há três jogava com Lio. Na estréia do time no Campeonato Paranaense, na última quinta-feira, quem assumiu a posição foi André Luiz, mas o jogador não fez uma boa partida. Com isso, o treinador optou por colocar Murilo na vaga, uma chance que o lateral esperava desde o ano passado, quando começou a treinar entre os profissionais. "Eu acho que facilitou o fato de já ter jogado com ele, mas se eu não tivesse mostrado um bom futebol desde que cheguei nos juniores e não tivesse conquistado a confiança dele, eu não estaria onde eu estou hoje", afirmou Murilo, que diz estar seguro para a sua estréia como jogador profissional. "Eu estou confiante porque estarei jogando com o Ticão, o Bruno Lança, o Alessandro Lopes, que eu conheço desde o time júnior e eles dão apoio para minha estréia", revelou.

No ano passado, Alessandro Lopes pôde estrear como profissional, mas a infeliz idéia do ex-técnico Mário Sérgio de colocá-lo como lateral, justamente nas finais do campeonato Paranaense, contra o Coritiba, alterou um pouco o rumo de sua carreira. O zagueiro não conseguiu repetir as atuações de quando jogava em sua posição original e acabou voltando a disputar partidas pelos juniores. O fato de Lio assumir o time agora facilitou a sua volta ao time profissional. "Ele já sabe o meu jeito de jogar e eu sei o que ele gosta que eu faça dentro de campo", falou Alessandro que acha Lio diferente dos outros técnicos. "Alguns treinadores falam muito pouco, ele não. Ele fala mais, cobra mais e sempre está determinado, com vontade, em nenhum momento tem preguiça então a diferença dele é essa", explicou o jogador, que conhece Lio há dois anos.

Experiência

Estar no Atlético desde as categorias de base resulta em experiência. O volante Bruno Lança afirma que todo mundo amadureceu com a promoção para o profissional. "Todos evoluíram bastante, tanto o Lio quanto nós jogadores. Todos estão bem mais maduros e tranqüilos", analisou. O técnico acha que boa parte do amadurecimento dos garotos deve-se ao fato de terem treinado o ano passado com Levir Culpi. "Eles amadureceram bastante, trabalharam praticamente o ano todo com o Levir", contou o técnico que afirmou que agora a responsabilidade desses jogadores aumenta. "A única coisa que modifica é a responsabilidade, a cobrança, porque nos juniores tem a cobrança só do técnico e no profissional tem a cobrança do técnico, da torcida, da direção e da imprensa então eles têm que estar preparados para tudo isso", disse Lio, que fez questão de conversar com os jogadores sobre a oportunidade dada a todos pelo clube. "Eu conversei com eles a respeito disso. Pra eles é uma oportunidade como a que está sendo dada para mim e todos nós temos que procurar agarrá-la Conversei bastante para que nós não fechemos as portas, temos que procurar abrir mais portas", finalizou.

A segunda partida do Atlético neste Campeonato Paranaense acontece na tarde deste domingo na Arena da Baixada, às 16h, quando o Rubro-negro enfrenta o Francisco Beltrão. Com uma baixa no elenco, o volante Jairo levou uma pancada no joelho e está fora, o técnico Lio Evaristo modificou a equipe. Além de colocar Ticão para jogar no lugar do volante machucado, Lio colocou o lateral-direita André Luís no banco e, em seu lugar, joga o também lateral Murilo, que pela primeira vez pisa no gramado da Arena para jogar como profissional da equipe. Com as duas mudanças, o time entra em campo com Tiago Cardoso; Murilo, Alessandro Lopes, Tiago Vieira, Durval e Badé; Bruno Lança, Ticão e Morais; Jorge Henrique e Dinei.

Reportagem: Julia Abdul-Hak

2ª rodada – Paranaense – (23/01/05) – Atlético x Francisco Beltrão
L: Arena da Baixada; H: 16h; A: Antonio Denival de Moraes (PR).

ATLÉTICO: Tiago Cardoso; Murilo, Alessandro Lopes, Tiago Vieira, Durval e Badé; Bruno Lança, Ticão e Morais; Dinei e Jorge Henrique. T: Lio Evaristo.

FRANCISCO BELTRÃO: Cássio; Edivaldo, Nogueira, Mateus e Gilcimar; João Bahia, Dino, Jean e Jeferson; Alex Franco e Vanderlei. T: Rui Scarpini.



Últimas Notícias

Torcida

Domingo é decisão

A partir das 11h do próximo domingo dia 16 de fevereiro, Athletico e Flamengo se enfrentam no estádio Mané Garrincha em Brasília em jogo único…

Opinião

Tamanho

Conheci Jasper em Santiago há alguns anos. Holandês de nascença, já era cidadão do mundo fazia algum tempo e morava no Chile há alguns meses.…