13 fev 2005 - 15h01

Sim, o Atlético jogou no domingo

Com um time cheio de desconhecidos da torcida, o Atlético foi até Rolândia enfrentar o Nacional, enquanto os principais jogadores da equipe viajavam para a Colômbia, onde irão enfrentar o Independiente Medelin na terça-feira.

A equipe da casa aproveitou os desfalques atleticanos e partiu para cima do Rubro-negro, em busca da segunda vitória da equipe no Campeonato Paranaense. E não demorou muito para o gol sair. Aos 14 minutos, Gil abriu o placar para o Nacional e fez a festa da torcida local.

O Atlético não conseguiu praticar um bom futebol e pouco criava para tentar o empate. Na verdade, quem esteve mais perto do gol foi o Nacional, dando bastante trabalho para o goleiro Guilherme.

No segundo tempo, o técnico Lio Evaristo mudou o Rubro-negro ao colocar Dinei e Netinho, mas as substituições não surtiram o efeito esperado. A partida continuou truncada e sem grandes chances para ambas as equipes.

A reação atleticana só começou a acontecer no final da partida, quando na base da raça os rubro-negros pressionaram o Nacional. Mas a retranca do adversário não deixou a bola chegar no goleiro Serginho e pela primeira vez o Atlético perdeu nesta temporada.

Apesar do resultado negativo, o Atlético continua na liderança do Grupo B, ao lado do Iraty, com 14 pontos. Na próxima rodada o Furacão irá enfrentar o Império do Futebol, na Arena da Baixada, quando inicia o segundo turno do Campeonato Paranaense.

7ª rodada – Paranaense – (13/02/05) – Nacional 1 x 0 Atlético
L: Erick George; H: 16h; A: Edivaldo Elias da Silva (PR); CA: Acássio, Gilmárcio, Luiz Henrique, Juninho, Danilo, Jonatas, Elton e Bruno Lança; CV: Acássio (74′), Morais (74′) e Elton (90+3′); P: ; R: R$ ,00; G: Gil, aos 14 do 1°.

NACIONAL: Serginho; Acássio, Naca e Luiz Henrique; Juninho, Fábio Lopes, Gilmárcio, Luciano Araújo (Teco 70′) e William; Nelmo (Ricceli 83′) e Gil (Eduardo 88′). T: Dirceu de Mattos.

ATLÉTICO: Guilherme; Murilo, Danilo, Bruno Lança, Elton e Stanley (Netinho 57′); Marcus Vinicius, Simão e Morais; Jonatas e Dennys (Dinei 60′) (Edivaldo 65′). T: Lio Evaristo.



Últimas Notícias

Notícias

Valeu, menino Rony!

Os olhos marejados não me deixavam apreciar o momento. A explosão em uma das maiores conquistas que já vivi, me faziam apenas ouvir um nome:…