16 maio 2005 - 0h57

Oswaldo de Oliveira entra na lista de especulações

O nome do técnico carioca Oswaldo de Oliveira passou a figurar na lista de especulações dos que estão cotados para assumir o comando do Atlético. Desde que Edinho Nazareth foi demitido, diversos profissionais já foram cotados para ocupar o cargo. Logo nos primeiros dias, Vadão e Péricles Chamusca eram os mais comentados, mas nada se confirmou.

Com o passar do tempo, o gaúcho Ivo Wortmann passou a ser o favorito de diversos veículos de imprensa e sua contratação chegou a ser dada como certa como alguns. Como ainda não se concretizou, o que era notícia passou a ficar cada vez mais com cara de boato. Agora, surgiu o nome de Oswaldinho, carioca de 54 anos, e desempregado há dois meses, desde que foi demitido pelo Santos Futebol Clube. Segundo consta, o programa Mesa Redonda, do Rio de Janeiro, teria informado que Oswaldo havia acertado com o Atlético.

Saiba mais sobre Oswaldo de Oliveira

Oswaldo de Oliveira Filho nasceu no Rio de Janeiro em dezembro de 1950. Formado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1975, especializou-se em futebol no ano seguinte. Na mesma época, começou a trabalhar como preparador físico auxiliar nas divisões de base do Bonsucesso. Como preparador físico principal, passou também pelo América e Botafogo antes de seguir para o Oriente Médio, onde permaneceu por 16 temporadas (sendo a mais longa delas como auxiliar no Al Arabi, do Catar).

Iniciou a carreira de auxiliar-técnico em 1996, aceitando um convite de Renê Simões para ajudá-lo na Seleção da Jamaica. Permaneceu apenas três meses no trabalho e sua vida começou a mudar de rumo quando passou a trabalhar com Vanderlei Luxemburgo no Santos, em 1997. No ano seguinte, seguiu com o técnico para o Corinthians. Em janeiro de 1999, quando Luxemburgo foi contratado para a Seleção Brasileira, indicou Oswaldo para o substituir no Corinthians. Ele assumiu a função e foi campeão paulista e brasileiro. No ano seguinte, venceu o Mundial de Clubes da FIFA.

Em menos de sete anos de carreira, dirigiu também o Vasco, Fluminense, São Paulo, Flamengo, Vitória e Santos, seu último clube.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…