17 maio 2005 - 22h51

Campanha: o Atlético precisa da sua força e da sua paixão

Nada é mais significativo na paixão atleticana do que o hino composto por Zinder Lins e Genésio Ramalho. A frase "Rubro-negro é quem tem raça e não teme a própria morte" expressa a característica mais importante da nação atleticana. Não temer a própria morte significa uma disposição de lutar até o fim pelo clube, superando qualquer obstáculo.

Nos últimos tempos, a tarefa de torcer pelo Atlético não exigiu muito esforço. As vitórias dentro de campo, os craques vestindo o sagrado manto e as grandes conquistas patrimoniais encheram de orgulho uma nação apaixonada, formada por mais de um milhão de corações atleticanos. Mas nem sempre de alegrias viveram os torcedores do Atlético. Durante alguns anos das décadas de 50 e 60, o clube atravessou graves dificuldades. Mais recentemente, nos anos 80 e início dos 90, faltavam aos jogadores condições mínimas para treinar, como material esportivo e campos de jogo.

O que podemos fazer?

Agora, surpreendentemente, o Atlético vive um momento difícil. Dizem que o primeiro passo para resolver um problema é reconhecer que ele existe. O abismo que se abriu entre torcida organizada e direção do clube é inegável. No meio do tiro cruzado estão milhares de torcedores. A maioria reconhece que os dois lados têm suas razões, assim como seus equívocos. Mas o objetivo de todos é um só: colocar um ponto final na discussão e voltar a ver a Baixada vibrante como sempre foi.

Porém, antes que se chegue a uma solução, o time de futebol do Atlético entrará em campo nesta quinta-feira, às 19h15, para enfrentar o Cerro Porteño, no jogo mais importante de sua história. Não é exagero. Uma vitória nesta partida poderá deixar o Furacão muito próximo de figurar entre os oito melhores times da América Latina.

Por isso, este é o momento do torcedor se perguntar: o que eu posso fazer para ajudar o Atlético? A resposta, cada um encontrará consultando seu coração atleticano. Agora é a hora de mostrar que somos apaixonados, dar uma resposta aos críticos, calar os coxas e voltar a impressionar o Brasil. Os próprios jogadores do Atlético precisam muito de apoio. Com o seu incentivo, eles terão tranqüilidade para a superação e a vitória. Vaias, xingamentos e cobranças intempestivas não resolverão o problema. Pior: vão agravar a situação, deixando os jogadores nervosos. Lembrem-se: vaiar os nossos jogadores nunca foi a tradição da nossa torcida.

Faça a sua parte!

Se você considera que o jogo contra o Cerro é fundamental para a história atleticana, dê a sua contribuição, o Atlético precisa de você. Sugestões de outras atitudes que possam ajudar a instituição Clube Atlético Paranaense, seus torcedores e, principalmente, o time de futebol serão muito bem-vindas.

Utilize o formulário abaixo para enviar uma mensagem de incentivo aos jogadores ou então para manifestar sua opinião sobre qual deve ser o comportamento da torcida (prefira mensagens curtas e objetivas para facilitar a leitura da maior quantidade de manifestações possível):

O prazo para envio das mensagens já se encerrou



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…