18 maio 2005 - 19h06

Ex-presidente da Fanáticos manda recado aos torcedores

"É preciso empurrar o time do começo ao fim". Este é o pensamento do presidente da Torcida Os Fanáticos (TOF) durante os anos de 1994 e 1999 e um de seus fundadores, José Carlos Belotto. Em entrevista exclusiva à Furacao.com, ele falou sobre momentos difíceis enfrentados pela torcida na época em que foi presidente e da importância do torcedor comparecer amanhã à Kyocera Arena incentivando o time a figurar entre os oito melhores da América.

Belotto disse não se recordar de nenhum outro momento em que houve tanto conflito entre a diretoria e os torcedores, seja na época em que esteve na presidência da TOF ou quando participou do processo de fundação da torcida. "Lembro-me apenas das manifestações que fazíamos contra o Pinheirão, na época em que o Atlético teve de mandar os seus jogos lá em 1985 e fizemos movimentos reivindicando a volta à Baixada. Não me recordo de outro momento onde a torcida foi tão crítica e contra o clube como está sendo agora. Me chateio muito com essa situação, porque sempre fomos caracterizados pela união, então dói muito ver essa divisão. Há muito radicalismo das duas partes: a diretoria não reconhece o valor da torcida e tem pessoas que não reconhecem o que os dirigentes fizeram pelo clube. Falta reconhecimento do valor de cada um", afirmou Belotto, lamentando a desunião.

Para ele, o jogo contra o Cerro Porteño será fundamental para levantar o moral do time. "Aí é que os jogadores perceberão o quanto é importante que os torcedores estejam ao lado deles. Uma vitória amanhã fará com que o Atlético suba um degrau a mais nesta caminhada tão desejada e construída em todos esses anos. Já estivemos nas oitavas-de-final na Libertadores em 2002, mas não conseguimos passar para as quartas, ou seja, é a chance do Atlético atingir essa marca. Com o critério do mata-mata, a presença ativa do torcedor apoiando o time é ainda mais importante, pois precisamos ganhar em casa para conseguirmos jogar bem lá no Paraguai", observou ele, que atualmente é colunista do site RubroNegro.Net.

Por fim, Belotto deixou o seu recado a toda a nação atleticana. "A torcida deve ter o pensamento agora voltado para a instituição do Atlético Paranaense acima de tudo, pois é o que nós tanto amamos. Os torcedores precisam ver que as pessoas passam em todas os segmentos, organizações, empresas, mas a instituição fica. É um ciclo. A torcida precisa se conscientizar que as manifestações contra o time não prejudicam apenas ele, mas podem colaborar com o adversário. Se houver apoio, conseguiremos alcançar um resultado muito grande e importante para a história do Atlético. Se quiserem vaiar, que façam no final dos 90 minutos. É preciso empurrar do começo ao fim, pois o mais importante é o apoio nos momentos difíceis também, não só quando tudo está mais fácil", finalizou o ex-presidente da organizada.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…