19 maio 2005 - 22h51

Borba admite que seu trabalho era mais no emocional

Um Atlético abalado, desestruturado, sem confiança. Era mais ou menos esse o perfil do time atleticano quando Borba Filho assumiu o comando técnico do time, na quarta-feira da semana passada. Passados oitos dias de trabalho, o técnico interino do Furacão admite: sua principal preocupação era recuperar o estado emocional dos atletas.

“Desde o primeiro dia que começamos o trabalho no Atlético, naquela quarta-feira negra, a nossa proposta era de recuperar a auto-estima dos jogadores e incutir neles o hino do clube, que diz que a camisa rubro-negra só se veste por amor. O espírito é esse”, afirmou Borba.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Vamos, Ó Meu Furacão…

O Athletico vive situação delicada no Brasileirão, na zona de rebaixamento. A equipe buscava reagir – eram oito jogos sem triunfos (três empates e cinco…

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…