19 maio 2005 - 21h53

O Caldeirão voltou a ferver

Nem o gol de empate do adversário, logo aos 3 minutos do segundo tempo, abateu o Atlético e os atleticanos. A bola ainda estava dentro da meta de Diego e alguns atletas ainda lamentavam o gol sofrido quando a torcida, apoiada pela força dos instrumentos da bateria, mandou seu recado das arquibancadas encadeiradas da Kyocera Arena: "vencer, meu Furacãooooo!". Contagiados, os jogadores não abaixaram a cabeça e conseguiram o segundo gol apenas dois minutos depois.

A descrição acima, que parecia impossível até ontem, é o fiel retrato do que aconteceu na vitória do Atlético sobre o Cerro Porteño por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, pelas oitavas-de-final da Libertadores da América. Em um só jogo, diretoria e torcidas organizadas selaram a paz, a bateria foi liberada, os jogadores não foram vaiados e, mais importante, o Furacão voltou a vencer depois de cinco derrotas consecutivas.

O clima do jogo começou a mudar durante a semana, quando os jogadores acenaram que a pressão estava muito grande e que precisavam do apoio da torcida. Iniciou-se, assim, uma mobilização de torcedores atleticanos. A campanha foi movida por frases como "Atlético, o ideal maior!", "Nenhuma conquista é impossível para um Atlético unido" e "Torcedor, o Atlético precisa da sua força e da sua paixão". Antes do jogo, panfletos sobre o movimento foram distribuídos à torcida. Dentro da Arena, o que se viu foi um aperitivo do que pode estar por vir: um retorno da nação atleticana às suas origens. Não houve vaias, xingamentos, muito menos cobranças exageradas.

Em campo, o time correspondeu demonstrando muita disposição e compromisso com a causa atleticana. O Cerro Porteño, adversário valoroso, ameaçou algumas vezes em chutes de fora da área, mas a falta de pontaria e Diego garantiram a tranqüilidade da meta rubro-negra. Rodrigo, aos 18 minutos, quase abriu o marcador cabeceando no cantinho do goleiro. Doze minutos mais tarde, ele deu o passe para Lima cabecear com estilo e fazer 1 a 0. Aos 35, Lima, um dos melhores em campo, quase ampliou em jogada individual.

No intervalo, o presidente Fleury e o vereador Mario Celso Cunha anunciaram, através do sistema de som da Arena, o retorno da bateria, muito comemorado pela torcida. O gol de empate do Cerro, marcado aos 2 minutos do segundo tempo por Julio dos Santos, não desanimou os torcedores. Aos 5 minutos, Lima fez mais uma boa jogada e cruzou para a área. Cléo ganhou dos paraguaios no jogo aéreo e cabeceou com força, no canto esquerdo de Aceval, desempatando a partida.

O Atlético ainda buscou o terceiro gol por mais alguns minutos, mas depois o time cansou. Nem as entradas de Evandro e Leandro foram suficientes para aumentar o apetite ofensivo da equipe, que recuou demais e levou o técnico Borba Filho ao desespero. Graças a isso, o Cerro chegou a ameaçar algumas vezes, mas a noite era atleticana e nada podia dar errado. Depois de vários dias, finalmente uma boa noite de sono e sonhos para a nação rubro-negra.

%ficha=422%

Confira os melhores lances da partida

Primeiro tempo
03 min – Atlético faz boa jogada pela direita, mas Alan Bahia fura no momento de concluir
13 min – Lima passa por dois marcadores e bate cruzado, mas para fora
15 min – Cerro Porteño ameaça com chute de fora da área do artilheiro Salcedo
18 min – Aproveitando cruzamento de Jancarlos, Rodrigo cabeceia no cantinho, mas Aceval faz uma excelente defesa e evita o gol
22 min – Cerro responde com chute de fora da área de Romero, mas Diego está bem colocado. Logo em seguida, Fretes chuta forte e Diego dá um soco na bola
30 min – Rodrigo cruza da direita e Lima cabeceia para o fundo do gol de Aceval, abrindo o marcador na Arena
34 min – Time paraguaio tenta pressionar o Atlético. Espínola bate de longe, mas Diego defende
35 min – Em rápido contra-ataque, Lima passa por dois na direita da área, mas chuta fraco e goleiro faz a defesa
42 min – Fabrício arrisca de longe, mas chuta para fora
46 min – Final do primeiro tempo

Segundo tempo
02 min – Cerro Porteño chega ao empate. Depois de cobrança de escanteio e do bate-rebate na área, Julio dos Santos pega o rebote e, mesmo desequilibrado, chuta no canto esquerdo de Diego, que nada pôde fazer
03 min – Torcida não desanima um segundo sequer e passa a gritar palavras de incentivo ao time mesmo com a bola ainda no fundo da meta de Diego
05 min – Animado, Furacão chega ao segundo gol. Depois de boa jogada pelo lado direito, Lima cruza e Cléo cabeceia com estilo, no canto esquerdo de Aceval, que permaneceu imóvel
07 min – Rodrigo chuta forte de fora da área e Aceval manda à escanteio
23 min – Cerro assusta. Salcedo chuta para o gol, Diego espalma e Marín tira o perigo
27 min – Em boa chance de bola parada, Fabrício cobra falta, mas Aceval faz fácil defesa
38 min – Fabrício cobra falta na área e Alan Bahia, livre, cabeceia por cima do gol. Depois, o árbitro anotou o impedimento do volante atleticano
47 min – Baéz chuta ao gol na última chance do Cerro, mas zaga tira em cima
48 min – Fim da partida



Últimas Notícias

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…