19 maio 2005 - 16h18

Paulo Rink: "o jogador sente a vibração positiva"

Transformar a força das arquibancadas no 12º jogador atleticano em campo hoje, contra o Cerro Porteño. Essa é a esperança de todos os torcedores do Atlético que vão à Kyocera Arena com um único intuito: apoiar o time para vencer a equipe paraguaia.

E para quem acha que grito de torcida não ganha jogo, a resposta vem de um dos principais atacantes da história do Atlético. Para Paulo Rink, esse apoio é fundamental. "Os jogadores sentem a vibração positiva no ar e muitas vezes correm mais motivados do que com um estádio vazio", afirmou.

Especificamente sobre a torcida do Atlético, que ele conhece muito bem e tem um carinho especial, Rink garante: "a torcida sempre ajudou, o Caldeirão é demais. A motivação da torcida, o barulho na hora de um lance importante e a vaia sobre uma interpretação errada do juiz, fazem parte do futebol tanto quanto a paixão, a camisa", disse.

Colaboração: Julia Abdul-Hak



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…