2 jun 2005 - 12h38

Árbitro Wilson de Souza Mendonça prejudicou o Atlético

Na pia batismal e no Cartório de Registro Civil, seu nome é Wilson de Souza Mendonça. No jogo desta quarta-feira à noite, ele foi Wilson de Souza "Santos". Com uma atuação extremamente controvertida, o experiente árbitro pernambucano prejudicou o Atlético. Com equívocos na marcação de impedimentos (auxiliado pelos assistentes Aristeu Tavares e Erick Bartholomeu Antas e Silva) e uma controvertida atuação na parte disciplinar, deixou a equipe atleticana nervosa e irritou a torcida, que em diversas ocasiões manifestou seu descontentamento através de gritos de "vergonha".

A diretoria do Atlético também reprovou a conduta de Mendonça, que integra o quadro da FIFA. "Foi profundamente lamentável. Nós tivemos uma arbitragem brasileira que não fez jus aos nossos árbitros. Ele errou em lances capitais na partida e operou o Atlético", afirmou o presidente João Augusto Fleury da Rocha.

A questão mais polêmica da arbitragem foi relativa ao aspecto disciplinar. Contido nas advertências com cartão amarelo, Wilson de Souza Mendonça não adotou o mesmo critério especificamente em relação a um jogador, o volante atleticano Alan Bahia. Tratando o atleta com desigualdade, Mendonça exibiu o cartão amarelo a Alan Bahia em um lance no meio-campo em que o jogador cometeu uma falta absolutamente comum, igual a dezenas de outras ocorridas no jogo e que não geraram sequer a advertência verbal dos infratores.

Depois desse cartão amarelo (além desse, o árbitro só mostrou mais três cartões amarelos por jogo violento durante toda a disputadíssima partida), não demorou nem dez minutos para que Alan Bahia fosse expulso. Cometeu uma falta no atacante Robinho e recebeu o cartão vermelho logo aos 26 minutos do primeiro tempo, curiosamente um minuto após o gol de empate atleticano.

Histórico negativo

O método de expulsão de jogadores importantes não é novidade na carreira de Wilson de Souza Mendonça. No Brasileirão 2001, ele apitou o jogo entre Atlético e Guarani na Arena da Baixada, pela penúltima rodada da primeira fase, que terminou empatado por 2 a 2. Naquela partida, ele expulsou os atacantes Kléber e Alex Mineiro e prejudicou o Furacão na reta final do Brasileirão. Mendonça foi imediatamente afastado pela Comissão de Arbitragem da CBF. Mesmo assim, Kléber foi punido e não enfrentou o São Caetano no primeiro jogo da final.

Depois daquele jogo contra o Guarani, o dirigente Mario Celso Petraglia aplaudiu ironicamente a arbitragem do pernambucano e declarou: "Ainda bem que essa corja que comanda o futebol brasileiro há anos está prestes a sair". Porém, a previsão de Petraglia não se confirmou nos anos seguintes.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…