28 jul 2005 - 2h46

Dez mil atleticanos festejaram olé sobre o Vasco

O borderô do jogo registrou a presença de 9.969 torcedores na Kyocera Arena na noite desta quarta-feira. Essas pessoas, em sua grande maioria torcedores do Atlético, assistiram à história goleada do Furacão sobre o Vasco da Gama por 7 a 2. Mesmo com o frio da noite curitibana e o horário incômodo (21h45), um bom público esteve na Baixada e saiu satisfeito com o bom futebol apresentado pelo time.

A festa começou antes mesmo do jogo, com um pequeno show de fogos de artifício para saudar a entrada do Furacão em campo. Com a bola rolando, a celebração foi ainda maior. Com 19 minutos, o time já vencia por 3 a 0 e mostrava um fôlego impressionante. Aos 25 minutos do primeiro tempo, foram ouvidos os primeiros gritos de "olé" após uma boa troca de passes atleticana. Aos 35, a galera foi ao delírio com um chapéu de Cocito no atacante Alex Dias, do Vasco.

No segundo tempo, o olé foi retomado aos 25 e aos 41 minutos de jogo. Logo depois, a torcida lembrou do controvertido presidente do Vasco, Eurico Ângelo de Oliveira Miranda, e mandou seu recado: "Ei, Eurico, vai tomar no cu". Ele não estava no estádio, mas deve ter assistido ao jogo pela televisão, afinal a partida foi transmitida para todo o Brasil, menos São Paulo e Curitiba. O técnico Renato Gaúcho, mal quisto pelos torcedores desde os tempos de Fluminense, também foi xingado.

Congela, Romário!

A gozação da torcida atleticana sobrou até para o tetracampeão mundial Romário, principal estrela do atual time do Vasco. O Baixinho não enfrentou o Atlético com receio do frio de Curitiba. Fez bem. Além de escapar de uma vergonhosa goleada, ele não sofreu com a congelante temperatura de 6°. Em compensação, teve de agüentar as brincadeiras decorrentes de sua ausência, como o cartaz levado por uma torcedora (foto acima).



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…