6 ago 2005 - 18h20

Em jogo fantástico, Furacão vence o Cruzeiro

Extraordinário. Fantástico. Espetacular. Histórico. Sensacional. Na dificuldade para escolher o melhor adjetivo para descrever a vitória do Atlético sobre o Cruzeiro por 5 a 4 na tarde deste sábado na Kyocera Arena, ficamos com todos eles. Foi uma partida memorável, da estirpe de vitórias históricas do Furacão. Se alguém duvidava de que algumas coisas só acontecem com o Atlético, o jogo deste sábado serviu para encerrar qualquer discussão. Afinal, não é qualquer time que tem um pênalti a seu favor aos 12 segundos de jogo, marca o gol da vitória aos 45 minutos do segundo tempo, faz cinco gols jogando com apenas um atacante, abre uma vantagem de 4 a 2 e a deixa escapar em apenas cinco minutos, tem um atleta expulso a 3 minutos do fim do jogo e ainda consegue achar forças para vencer.

Há exatos dois anos, no dia 6 de agosto de 2003, o cineasta Francis Ford Coppola esteve na Arena da Baixada e assistiu à vitória do Atlético por 1 a 0 sobre o Paraná. Encantou-se com a paixão da torcida e a mágica do estádio. Mas se Coppola tivesse a sorte de assistir ao jogo contra o Cruzeiro, neste sábado, certamente teria material de sobra para o roteiro de um filme. Vibração, suspense, reviravolta, garra, magia, encanto. Todos os ingredientes capazes de emocionar estiveram presentes durante os 95 minutos da partida de hoje. O jogo Atlético 5 x 4 Cruzeiro não foi uma simples partida de futebol. Algo de sobrenatural tomou conta dos 14 jogadores atleticanos e dos 16 mil torcedores fanáticos e criou um ambiente que jamais será esquecido por aqueles que tiveram a felicidade de passar pelo menos duas horas da tarde deste sábado no solo sagrado da Arena.

A partida foi intensa. Aos 12 segundos, num piscar de olhos, o colombiano David Ferreira foi derrubado por Marcelo Batatais e sofreu pênalti. Excelente início para o meia que tinha a dura missão de jogar ao lado de Finazzi no ataque e dar ofensividade ao Furacão. Um minuto depois, Alan Bahia cobrou com extrema categoria e incendiou a Arena. O Cruzeiro empatou aos 15 minutos, com um gol de Adriano, jogador criado no Atlético. Sete minutos depois, o Atlético retomou a vantagem com um gol do oportunista Finazzi após cobrança de escanteio. Os dois times jamais abdicaram do ataque, o que acabou sendo excelente para o espetáculo.

Logo aos 5 minutos do segundo tempo, Finazzi aproveitou mais uma jogada de área e marcou o terceiro. A vantagem de dois gols durou apenas três minutos. Kelly, outro ex-atleticano, invadiu a área e estufou a rede de Diego. Mas aos 21, Finazzi pegou rebote de Fábio e marcou seu terceiro gol. Podia ser o início de uma goleada, mas o Cruzeiro não desistiu. Em quatro minutos, empatou o jogo. Adriano, aos 24, e Kelly, aos 25, igualaram o marcador. Faltavam cerca de 20 minutos para o fim, mas o empate não passava pela cabeça de qualquer atleticano. Aos 30 minutos, Lopes colocou Schumacher no lugar de Ferreira. A substituição se mostraria decisiva quinze minutos mais tarde.

Aos 28, Jancarlos fez ótima jogada e bateu com precisão na saída de Fábio, mas a bola tocou a trave e não entrou por milagre. Aos 37, após novo escanteio, Finazzi e Paulo André perderam ótimas chances. Todos sentiam que o gol estava próximo. Aos 42, Evandro cometeu falta e recebeu o cartão vermelho. A expulsão do craque a três minutos do fim poderia desmotivar qualquer equipe. Mas não o Atlético. Aos 45, André Rocha cobrou escanteio e a bola foi para o predestinado Schumacher. Meio sem jeito, ele dominou e fuzilou para o gol, proporcionando uma festa incrível na Arena. Aos 48, o Cruzeiro esteve a ponto de empatar, mas a vitória não podia escapar do Rubro-negro.

O resultado premiou a equipe que foi incansável, que jogou com raça e determinação. O time esteve tão ligado e focado que marcou um gol logo no primeiro minuto de jogo e outro a quatro minutos do apito final. Esteve sempre à frente do marcador, mas não esmoreceu mesmo depois de sofrer um inesperado empate a poucos minutos do fim. Não desistiu mesmo com um a menos e mesmo depois de perder chances incríveis para marcar o gol decisivo. E junto com o time esteve a torcida atleticana, vibrando a cada gol marcado e incentivando a cada gol sofrido. Juntos, jogadores e torcedores escreveram mais um brilhante capítulo na história desse impressionante Clube Atlético Paranaense.

%ficha=443%

Melhores momentos da partida

Primeiro tempo
12 seg – David Ferreira é derrubado na área e sofre pênalti.
01 min – Gol do Atlético. A 1 minuto e 16 segundos de jogo, Alan Bahia cobra o pênalti e marca o primeiro gol do Atlético
09 min – Marcão recebe na esquerda, mata no peito e chuta cruzado, mas Fábio defende
15 min – Gol do Cruzeiro. Adriano Louzada ganha de Fabrício na ponta-direita e cruza para Adriano Gabiru, dentro da pequena área, cabecear para o gol e empatar o jogo
21 min – Fabrício cobra falta com muito perigo e a bola desvia na barreira
22 min – Gol do Atlético. Jancarlos cobra escanteio da ponta-esquerda e quase marca um gol olímpico. Zagueiro do Cruzeiro tira de cabeça e Fábio espalma para cima. Oportunista, Finazzi ganha do zagueiro e cabeceia para marcar o segundo gol
25 min – Finazzi é derrubado pelo zagueiro na área e pede pênalti, mas árbitro não marca
26 min – Adriano ganha de Alan Bahia e dá um lindo toque para Kelly. Ele invade a área e bate bem, mas Diego faz defesa espetacular. A bola ainda toca no travessão antes de Danilo tirar definitivamente o perigo
30 min – Jancarlos cobra falta da intermediária e Marcão desvia de cabeça, com perigo
36 min – Após boa jogada de todo o ataque, Jancarlos chuta cruzado e Fábio faz boa defesa
42 min – Maurinho cobra escanteio da direita, Moisés cabeceia forte e no cantinho direito, mas Diego faz defesa milagrosa e evita o gol
43 min – Fabrício arrisca chute de longe, mas Fábio defende com firmeza
46 min – Fim do primeiro tempo

Segundo tempo
05 min – Gol do Atlético. Evandro faz ótima jogada na ponta-direita e cruza para a área. Marcão, no segundo pau, ajeita de cabeça e Finazzi bate de virada, marcando o terceiro gol
06 min – Ferreira ajeita de calcanhar e Evandro bate forte, para fora
08 min – Gol do Cruzeiro. Após erro da defesa atleticana na saída de bola, Kelly invade a área e bate forte, descontando para o Cruzeiro
21 min – Gol do Atlético. Fabrício recebe passe de Ferreira e bate forte de longe. Fábio dá rebote e Finazzi só completa para o fundo da rede
24 min – Gol do Cruzeiro. Após bobeira da zaga em cobrança de escanteio, Adriano Louzada pega a sobra na área e desconta
25 min – Gol do Cruzeiro. Em jogada envolvente, Adriano Louzada toca de calcanhar e Kelly bate na saída de Diego, empatando o jogo
28 min – Em lance incrível, Jancarlos fica cara a cara com Fábio e bate, mas a bola toca caprichosamente na trave esquerda de Fábio
34 min – Fabrício cobra falta de longe e Fábio solta perigosamente na área, mas ninguém aproveita
36 min – Fabrício bate forte e Fábio espalma para escanteio
37 min – André Rocha cobra escanteio da direita, Finazzi fica na cara do gol, mas bate errado. Na sobra, Paulo André perde uma chance incrível
42 min – Evandro é expulso por cometer falta em Fábio Santos fora do lance
45 min – Gol do Atlético. Schumacher aproveita cruzamento de escanteio de André Rocha da direita e marca o quinto gol
48 min – Em ótima jogada do Cruzeiro pela direita, Diego espalma e Moisés bate para fora, perdendo uma grande chance de empatar novamente
49 min – Fim da partida



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…