6 ago 2005 - 22h42

Lopes destaca perseverança, mas aponta erros do time

O técnico Antonio Lopes destacou a determinação dos jogadores atleticanos durante o jogo contra o Cruzeiro, neste sábado à tarde na Kyocera Arena. Durante a entrevista coletiva concedida após o jogo, Lopes comentou que a equipe não desistiu jamais, mesmo quando o Cruzeiro empatou a partida por 4 a 4. Para ele, a perseverança foi fundamental para o time conseguir vencer por 5 a 4. Apesar disso, ele destacou que a equipe cometeu muitos erros e que já sabe qual foi a principal falha. Ele conversará com os atletas, que serão cobrados pelos cochilos. Durante a coletiva, o comandante também fez questão de elogiar a postura tática da equipe, que atacou muito pelas laterais e o desempenho individual do atacante Finazzi. Confira os principais trechos:

O JOGO
"Nossa equipe vem de uma seqüência de bons jogos e bons resultados seguidos, o que mostra que o Atlético está se recuperando. Fizemos uma partida muito boa, a equipe trabalhou bem em velocidade e jogando pelos flancos, mais do que foi contra o Goiás. Hoje proporcionamos muitas jogadas e criamos muitas situações de gols. Gostei do Finazzi, que tem que fazer isso mesmo, ficar ali perto da área. Ele tem uma presença de área muito boa, hoje ele mostrou que realmente é matador e sabe fazer gol. O sistema defensivo no primeiro tempo foi bem, mas tivemos alguns vacilos quando tomamos os gols, mas que iremos corrigir nos treinamentos".

ERROS E ACERTOS
"Tivemos muitos erros principalmente quando estivemos por duas vezes na frente do placar. Isso vai ser objeto de discussão durante a semana. Já sei porque a equipe falhou e vou repassar isso aos jogadores. O time realmente mostrou que tem capacidade de perseverar e continuar atacando, haja vista que quando eles conseguiram empatar em 4 a 4 nós criamos mais chances de gol. Tivemos chance com aquela bola na trave do Jancarlos, o chute por cima do Paulo André e todas aquelas bolas sobrando na área. Então a equipe teve perseverança, não se acomodou e acabou sendo premiada com o gol do Schumacher".

MONTAGEM DA EQUIPE
"Estamos completando três meses frente à direção técnica do Atlético e, na medida que o tempo passa, vou conhecendo mais o grupo. Estamos encontrando soluções acertadas para os problemas que estão aparecendo. Temos jogadores que são quase titulares, que podem entrar e suprir as ausências daqueles que são titulares de origem, porque geralmente entram descansados".

ATAQUE ATLETICANO
"Hoje tivemos sorte ao trazer o Schumacher lá da Taça BH e ele entrou bem. É um garoto que precisa ser muito bem orientado e precisa jogar, razão pela qual eu não o deixei na equipe principal. Não adianta esse garoto ficar no time de cima se eu não o utilizar. É melhor colocá-lo em jogo porque será importante na formação dele. O Finazzi também mostrou que foi uma boa contratação que o Atlético fez. Mas ter dúvidas na escalação chega a ser um problema bom. Pior é quando não tem atacantes, como aconteceu hoje. Tivemos que buscar o Schumacher e não tínhamos um segundo atacante de oficio. Tivemos que colocar o David, que se apresentou bem. Não tínhamos o Caetano, que poderia ter entrado também, mas tomara que todos voltem rapidamente. Formar o ataque do Atlético não é problema, é solução".

CRUZEIRO
"O Cruzeiro está de parabéns, é uma equipe sensacional, de excelente qualidade técnica, veloz e que sabe jogar nas bolas paradas ofensivas. Os escanteios e faltas são muito bem cobrados. Eles têm bons cabeceadores também. O Cruzeiro está de parabéns pelo time que tem e pelo treinador, que é um rapaz muito organizado e que trabalha bem a parte tática".

APLICAÇÃO TÁTICA
"A aplicação tática sempre faz a diferença. Futebol consiste num jogo onde pequenos detalhes decidem uma partida. E esses detalhes são referentes à parte tática. Nossa equipe se portou bem, acertamos a marcação no segundo tempo. Sabíamos que eles jogavam com dois volantes fixos no meio campo, o Maldonado e o Fábio Santos ficavam lá atrás. O Wagner é um componente no meio de campo que também faz a função de atacante. Então eu tinha que colocar um volante ali pra equilibrar e não dar liberdade ao Wagner, mas não podia abdicar um jogador do meio porque ficaríamos muito atrás e era isso que o Cruzeiro queria. No segundo tempo procuramos fazer um revezamento Com o Jancarlos e o Evandro para que o Fabrício pudesse chegar lá na frente com segurança".

EXPULSÃO DE EVANDRO
"Não concordo com a atitude do árbitro. O jogador deles simulou e deveria ter levado cartão, não o Evandro. Ele voltou para o campo mancando para mostrar a falta, mas depois não mancou mais. O Evandro foi mal expulso no meu entendimento".



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Vamos, Ó Meu Furacão…

O Athletico vive situação delicada no Brasileirão, na zona de rebaixamento. A equipe buscava reagir – eram oito jogos sem triunfos (três empates e cinco…

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…