18 out 2005 - 0h01

Evaristo e Lopes participaram do Bem, Amigos

O programa Bem, Amigos desta segunda-feira proporcionou um encontro entre o atual técnico do Atlético e o seu último treinador. Evaristo de Macedo sentou ao lado de Antonio Lopes durante a atração comandada por Galvão Bueno e ambos foram as estrelas. Velhos conhecidos, os dois experientes treinadores são vizinhos no Rio de Janeiro e têm um relacionamento muito próximo, a ponto de Evaristo brincar diversas vezes com Lopes. O ex-técnico rubro-negro rebateu: "Eu peguei o Atlético na sexta rodada com zero ponto ganho e entreguei em 15° lugar. Já deixei bem encaminhado".

Em comum, os dois elogiaram a estrutura do Atlético e disseram que o clube é um dos mais avançados do futebol brasileiro. Confira as principais declarações de Evaristo:

"Eu sou um cara consciente. Eu perguntei aos rapazes como o Lopes estava fazendo e dirigindo vocês e disse: então vamos fazer o contrário."
(Evaristo de Macedo, brincando com seu amigo Antonio Lopes sobre o fato de tê-lo substituído no comando do Atlético)

"Para a Libertadores não há a mínima chance. A gente tem de ter o pé no chão e ter objetivos. Só pedir para ganhar o jogo não adianta, tem de ter uma meta maior. Quando ele (Antonio Lopes) saiu, ainda havia o medo do rebaixamento. A nossa idéia é que nós tínhamos de nos afastar primeiro da zona do rebaixamento. Uma vez afastados, daí é que vamos ver onde podemos chegar"
(Evaristo de Macedo, descartando a possibilidade de o Atlético terminar entre os quatro melhores)

"Quando você acompanha o desenvolvimento do futebol, quando está no dia-a-dia, está sempre atualizado, independente de sua idade. Aí dizem: ‘mas já não faz o que fazia antes’. Mas para isso existem os auxiliares. Não existe esse negócio de experiente ou inexperiente. Isso é uma bobagem muito grande. O que existe é estrutura."
(Evaristo de Macedo, rechaçando as críticas aos técnicos mais velhos)

"Quando um treinador se interessa por tudo o que acontece com a equipe, dizem que ele é centralizador. Mas eu tenho de saber o que acontece com um jogador que está machucado. Temos interesse de tomar conhecimento do que acontece com nossa equipe."
(Evaristo de Macedo, admitindo que gosta de ter conhecimento sobre todas as áreas do clube)

"Quando eu comecei, era treinador, preparador físico e treinava os goleiros. Eu tinha um auxiliar. Hoje lá no Atlético eu encontrei um auxiliar, um outro auxiliar que está viajando para ver os jogos, um preparador fisico, um auxiliar de preparador fisico e um terceiro que trabalha com recuperação de jogadores. E temos dois treinadores de goleiros. O Atlético tem uma estrutura muito boa. Eu conheço pelo menos quatro médicos e quatro fisioterapeutas. O Atlético hoje é um dos clubes mais bem organizados em termos gerais."
(Evaristo de Macedo, contando sobre a estrutura do Atlético)

"Tem jogador que é belíssima pessoa, dedicado, bom profissional, mas não gosta de treinar. E tem cara que sai à noite e treina à beça. O que nos interessa é resultado. O que importa é ganhar."
(Evaristo de Macedo, "absolvendo" quem se diverte, mas cumpre o exigido)

"Esses garotos chegam aos clubes com 14 anos. Quando eles chegam no profissional eles já sabem tudo. Eles não chegam como nós chegávamos. Eles já convivem com os profissionais há muito tempo."
(Evaristo de Macedo, comentando a mudança no perfil dos atletas profissionais, que amadurecem muito mais rápido)

"A verdade é uma só: nós não dirigimos a seleção brasileira. Alguns jogadores se prendem mais ao que nós pedimos porque eles não têm qualidade de criação. Agora, os que têm mais criatividade enriquecem o sistema tático, isso é normal."
(Evaristo de Macedo, falando sobre os craques e os carregadores de piano)

"No Atlético a gente tem o Dagoberto e o Aloísio na frente e os dois jogadores de trás, que são o Evandro ou o Ferreira e o Lima, são atacantes também. Você pode jogar assim, mas desde que os caras da frente se proponham a voltar."
(Evaristo de Macedo, comparando o atual time atleticano com o quadrado mágico da Seleção Brasileira)



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…