30 out 2005 - 18h07

Evaristo garante que time não irá se acomodar

O técnico Evaristo de Macedo prometeu aos torcedores atleticanos que a equipe não irá se acomodar na reta final do Campeonato Brasileiro. Ao vencer o Paraná Clube por 2 a 1 neste domingo e atingir 51 pontos, o Furacão atingiu a primeira meta estipulada pelo treinador há cerca de um mês: escapar do rebaixamento para a Série B de 2006. Como a classificação para a Libertadores do próximo ano tornou-se difícil, poderia surgir uma espécie de relaxamento natural por parte dos atletas.

"Nesses anos todos de trabalho, meus times nunca se acomodaram. Não deixo isso acontecer. Quem se acomodar sai. Eu quero vibração. Nada de cumprir compromisso. Temos de ir pro pau", afirmou Evaristo, de modo enfático. O técnico recordou que a primeira meta foi cumprida: "Havia um temor de a gente ficar perto da zona perigosa, mas graças a Deus nós conseguimos sair dali. Desde que eu cheguei, nós fizemos sete jogos e ganhamos seis. Isso nos deu uma certa folga".

Sobre as chances de terminar o Brasileiro entre os quatro melhores (e, conseqüentemente, garantir uma vaga na Libertadores), Evaristo expressou novamente sua preocupação com o fato de o time estar a vários pontos dos primeiros colocados. "A gente tem de entender que não somos só nós que jogamos. Se quem está na frente começar a ganhar também a gente não alcança. Eu não posso pensar que os outros vão perder. Nós temos de ir passo a passo", observou.

Tranqüilidade

Especificamente sobre a vitória contra o Paraná Clube, o treinador rubro-negro destacou a postura da equipe, que em nenhum momento perdeu o controle da partida. Ao contrário do que aconteceu no último jogo, contra o Fluminense, desta vez o Furacão aproveitou bem as chances que teve e decidiu o jogo a seu favor.

"O nosso time teve um comportamento muito bom nos momentos difíceis. Não houve precipitação. O time estava consciente dentro de campo. Mesmo sendo dominado na linha média – na linha média, vejam, pois na defesa fomos absolutos -, o time manteve a calma e aproveitou as oportunidades", analisou Evaristo de Macedo.



Últimas Notícias

Opinião

Céu e inferno

Qual a semelhança entre Casemiro Mior, Flávio Lopes, Heriberto da Cunha, Ricardo Drubscky, Leandro Ávila e Fabiano Soares? E entre Geninho, Antonio Lopes, Paulo Cesar…