17 nov 2005 - 22h26

Pijama rasgado no Mineirão

O herói do jogo entre Cruzeiro e Atlético não costumava ficar nem no banco de reservas. Sequer fazia sombra a Dagoberto, Lima, Finazzi, Aloísio e Denis Marques. Aos 37 minutos do segundo tempo, com o placar marcando 1 a 1, o jovem Lê aproveitou a chance que recebeu de Evaristo de Macedo e marcou, quem sabe, o gol mais importante da carreira. Minutos após entrar em campo no lugar do atacante Schumacher, Lê roubou a bola de Irineu, entrou livre na área e chutou no canto do goleiro Fábio. Antes disso, os torcedores do Atlético ainda viram muitas chances perdidas pelo Furacão.

Remendado em campo por causa dos desfalques e das negociações de última hora de Lima e Marcão, o Rubro-negro mostrou muita vontade em Belo Horizonte. Aos 45 segundos o placar já foi aberto. Evandro aproveitou uma bola da entrada da área e encheu o pé para marcar um golaço. Com uma postura bastante ofensiva, o time paranaense teve a oportunidade de fazer o segundo depois que Thiago Almeida cruzou na área. A cabeçada do ataque foi para fora.

Ainda com esperanças de chegar à Copa Libertadores, o Cruzeiro reagiu e empatou com Alecsandro. Depois da cobrança de falta de Maldonado, o cruzeirense só desviou, sem chances para o goleiro Vinícius. O Atlético cresceu depois do gol adversário e só não marcou porque a pontaria não estava calibrada. Cristian, Ferreira e Thiago Almeida perderam boas chances do segundo gol.

No segundo tempo o Atlético voltou com a mesma pegada no meio-campo e não dando chances para os avanços dos alas cruzeirenses. Com os três zagueiros – Danilo, Durval e Paulo André – cobrindo bem os espaços, o Rubro-negro explorou bem o toque de bola e os contra-ataques. Só que a tática quase foi abaixo quando o árbitro Luiz Alberto Bites marcou um toque de mão de Thiago Almeida pertinho da risca da área. Na cobrança de falta de Maldonado a zaga desviou para escanteio.

Faltando oito minutos para terminar o tempo regulamentar, o Atlético desfez a fama de time caseiro e marcou o segundo gol com Lê. Com os três pontos garantidos no Mineirão, o Furacão reassumiu a oitava colocação e está com um pé na Copa Sul-Americana do ano que vem.

%ficha=464%

Melhores momentos da partida:

Primeiro tempo
1 min – Gol do Atlético. Evandro aproveitou uma bola da entrada da área, encheu o pé, e abriu o placar
5 min – Falta pela direita para o Atlético. No cruzamento de Thiago Almeida, a bola foi cabeceada fraca para o gol
10 min – Gol do Cruzeiro. Maldonado bateu falta pela esquerda e Alecsandro entrou para desviar de cabeça
14 min – Ferreira deixou Schumacher na cara do gol, ele ajeitou para a perna esquerda e o goleiro desviou para fora
20 min – Cristian fez boa jogada mas na hora de finalizar mandou para fora
24 min – Alan Bahia tocou para Ferreira, no arremate a bola passou pelo lado esquerdo do goleiro cruzeirense
39 min – Marin cruzou na área, Schumacher tocou e Thiago Almeida, de meia bicicleta, quase fez o segundo
47 min – Fim do primeiro tempo

Segundo tempo
6 min – Marin cobrou falta perto da área com muito perigo. A bola quase entrou
7 min – Na furada da zaga atleticana, Adriano tocou para trás, mas o ataque cruzeirense perdeu boa chance
22 min – Marin cobrou falta na área. Durval subiu bem mas cabeceou para fora
31 min – Schumacher recebeu na frente e foi derrubado perto da área
32 min – Marin cobrou a falta na barreira, no rebote André Conceição quase fez um golaço de fora da área
34 min – O árbitro Luiz Alberto Bites marcou um toque de mão de Thiago Almeida perto da grande área
35 min – Maldonado chuta no canto e a zaga desvia para escanteio
37 min – Gol do Atlético. Lê roubou a bola de Irineu, entrou livre na área, chutou no canto de Fábio e fez o segundo
45 min – O Cruzeiro quase empatou. Numa bomba de fora da área, Vinícius fez ótima defesa e mandou para escanteio
48 min – Fim do jogo



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…