20 nov 2005 - 18h00

Cansado, Atlético empata com o São Caetano

Atlético e São Caetano empataram por 2 a 2 em jogo realizado na tarde deste domingo, dia 20 de novembro, na Kyocera Arena. O resultado interrompeu uma série de sete vitórias seguidas do Furacão na Baixada. O último tropeço em casa havia ocorrido há três meses – curiosamente, também um placar de 2 a 2, contra o Juventude. Mesmo assim, o ponto conquistado serviu para garantir o Atlético na Copa Sul-Americana de 2006. O time agora é o sétimo colocado do Brasileirão e o melhor paranaense, com 58 pontos.

Na opinião do técnico Evaristo de Macedo, o empate contra o Azulão decorreu do cansaço da equipe, que realizou três jogos num período de apenas oito dias. A verdade é que, por esse motivo ou não, o Atlético não jogou bem e não conseguiu repetir as mesmas atuações que vinha tendo diante de sua torcida. Jogando para um público de quase 9 mil pessoas, o Rubro-negro não teve o mesmo ímpeto ofensivo e chegou a estar perdendo o jogo por 1 a 0.

O primeiro tempo foi equilibrado. Apesar de manter maior posse de bola, o Atlético não conseguiu ameaçar a meta do São Caetano, que respondia em contra-ataques. O atacante Somália foi o jogador adversário que mais chamou atenção, desperdiçando boas chances aos 8, aos 12 e aos 28 minutos. Do lado atleticano, Finazzi teve duas excelentes oportunidades para marcar. Na primeira, aos 16, concluiu mal um cruzamento de Cristian. Na segunda, aos 45, cabeceou completamente livre na pequena área, mas Silvio Luiz fez uma defesa milagrosa com os pés.

Os gols ficaram para a etapa final. Logo aos 12 minutos, Triguinho aproveitou um cochilo da zaga e bateu na saída de Tiago Cardoso. Aos 20 minutos, Evaristo mudou por atacado: sacou Durval e Evandro e colocou Juliano e Schumacher. Logo em seguida às mudanças, o Atlético virou. Aos 21, o colombiano David Ferreira ganhou uma disputa de bola na direita, avançou em direção à área e bateu bonito no cantinho de Silvio Luiz. Dois minutos depois, Alan Bahia alçou na área e Finazzi se antecipou ao goleiro, cabeceando por cima dele e marcando seu décimo terceiro gol no campeonato.

A vitória parecia assegurada, mas o São Caetano lutou e conseguiu o empate aos 33 minutos. Triguinho e Danilo se chocaram na área atleticana e o árbitro sergipano Antônio Hora Filho marcou pênalti. Márcio Richards cobrou bem e deu números finais à partida.

%ficha=465%

Melhores momentos da partida

Primeiro tempo
08 min – Zaga chochila e Somália bate rasteiro, com perigo, mas Tiago Cardoso faz boa defesa.
12 min – Somália arranca pela esquerda, dribla Paulo André e cruza para a área, mas a zaga afasta para escanteio.
16 min – Cristian cruza da direita e Finazzi, totalmente livre na pequena área, chuta para fora e desperdiça uma chance incrível.
28 min – Somália fica cara a cara com Tiago Cardoso, mas tropeça na bola.
28 min – Na seqüência da jogada, Atlético sai em contra-ataque e Ferreira arrisca de fora da área. Silvio Luiz espalma para trás e a bola quase entra.
45 min – Na melhor jogada do Atlético, Evandro lança Marín na esquerda, que cruza na cabeça de Finazzi. Ele testa com firmeza, mas a bola pára nas pernas de Silvio Luiz e não entra por milagre.
46 min – Fim do primeiro tempo.

Segundo tempo
07 min – Jancarlos cobrou falta da direita e Danilo cabeceou no travessão.
12 min – Gol do São Caetano. Zaga falha e Triguinho toca na saída de Tiago Cardoso.
13 min – Evandro faz boa jogada, invade a área e toca para Finazzi, que corta o zagueiro e bate forte. A bola passa raspando a trave.
21 min – Gol do Atlético. Ferreira escapa pela direita, invade a área e bate no canto direito de Silvio Luiz.
23 min – Gol do Atlético. Alan Bahia lança Finazzi na área. Ele cabeceia e encobre o goleiro Silvio Luiz.
26 min – Schumacher dribla dois zagueiros e bate rasteiro, mas a bola vai para fora.
30 min – Árbitro marca pênalti de Danilo em Triguinho.
33 min – Gol do São Caetano. Márcio Richards bate no ângulo superior direito de Tiago, que salta para a esquerda.
45 min – Alan Bahia arrisca de longe, Silvio Luiz bate roupa e Finazzi quase marca.
48 min – Fim do jogo.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…