O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
20 dez 2006 - 12h07

Delírio febril por Arenas no Brasil

As diretorias de Santos, Corinthians, Palmeiras e Cruzeiro (momento pré-eleições) anunciaram “projetos de construção” de modernas Arenas para suas torcidas, com o discurso de investidores do exterior que já conhecemos.

Assim também foi com o Fluminense, o Flamengo, nossa filial o Figueirense e por aí se foi, e o assunto vai morrendo sempre, ficando esquecido e permanecendo tudo no projeto e no papel, e não acontece nada. A ultima é do Grêmio, que anuncia uma empresa da Europa com investidores construiriam uma moderna arena pra eles. – custo R$ 250 milhões. A torcida está delirando de euforismo, todavia, será que ninguém sabe fazer contas? Façamos um breve cálculo:

1) Alguém vai ter que por a mão no bolso e sacar estes 250 milhões para reavê-lo em 30 anos (ou 360 meses);

2) R$ 250 milhões divididos por 360 meses dá R$ 694.000,00 por mês;

3) Claro que alguém que faça este investimento quer ter lucro (são empresas e investidores é natural). Para se aguardar 30 anos para retirar um investimento é razoável 30%, que eleva a conta para 902 mil reais por mês, mais os juros ou correção serão 1.000.000,00 por mês;

4) Evidente que aquele que construa um estádio com o próprio dinheiro, não vai construí-lo para vender geral a R$ 5 pila, como querem os gaúchos, faz para isso um estádio menor para atingir o público economicamente viável que assegure o retorno;

5) Para retirar 1.000.000,00 por mês a um ingresso médio de R$ 20 pila, são 50 mil ingressos por mês, e um time como o Grêmio faz cinco jogos por mês em seu estádio, portanto são 10 mil ingressos por jogo empenhados ao investidor;

6) A média de público do Grêmio em 2006 foi de 20 mil por jogo, mas, ao preço de geral a R$ 5, claro que vai cair, com ingresso médio de R$ 20;

7) São tão inocentes que acreditam que alguém vai pagar 30% da despesa a troco de “naming rights” (75 milhões) e ainda de um estádio que sequer foi construído. Portanto o que sobrar, acima dos 10 mil pagantes, vai pagar luz, porteiros, manutenção, conservação, impostos, etc;

8) Investidor e bancos exigem “garantias reais”, não adianta só papel. Vão destruir o estádio antigo, para evitar que uma diretoria posterior denuncie o contrato e volte a jogar no antigo e a coisa vai parar no tribunal e assim colocar o investimento em risco;

9) Mas, assim, qual é a garantia real exigida? Claro que será o terreno do estádio antigo onde seja construído o novo, assim, clube e torcida ficam amarrados aos 30 anos.

O que se conclui, é que tem gente delirando, e que estão iludindo os torcedores pelo Brasil. Nada como assistir de cadeira, vou aguardar. O fato e a realidade é que devemos entender a competência e oportunidade da diretoria do CAP em construir a Kyocera Arena, que após 10 anos, nenhum clube conseguiu imitar.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…