11 fev 2007 - 20h46

Atlético continua sem vencer com Heber no apito

O Atlético continua sem derrotar o Coritiba em jogos válidos pelo Campeonato Paranaense apitados por Heber Roberto Lopes, o maior expoente do quadro de arbitragem do estado atualmente. O Atletiba deste domingo foi o quinto da carreira de Heber em Campeonatos Estaduais. Com ele no apito, o Coritiba venceu quatro vezes (2 a 1 em 1999, 2 a 0 em 2001, 2 a 1 em 2004 e 1 a 0 em 2005) e empatou apenas uma – justamente o jogo deste domingo, na Kyocera Arena.

A única vez que o Furacão conseguiu vencer um Atletiba apitado por Heber Roberto Lopes foi em 2003, na final da Copa Sesquicentenário. No torneio organizado pela FPF que foi disputado por times amadores e profissionais para comemorar os 150 anos do estado, o árbitro foi escalado para a final. O Atlético venceu por 2 a 1, no Pinheirão.

No jogo deste domingo, o árbitro marcou um pênalti inusitado para o Coritiba, aos 18 minutos de jogo. Após uma cobrança de escanteio, ele apitou forte e apontou a marca penal, alegando uma suposta falta cometida por Danilo na área rubro-negra. Mesmo com a arbitragem polêmica, o Atlético conseguiu evitar a derrota, fato inédito em se tratando de Atletiba de Campeonato Paranaense apitado por Heber Roberto Lopes.

Longo histórico

Em 13 de junho de 99, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paranaense, Heber apitou o Atletiba que terminou 2 a 1 para o Coritiba. Naquele jogo, ele expulsou o volante atleticano Renato. Passaram-se dois anos, mas o modo de atuar continuou o mesmo. No Atletiba de 11 de fevereiro de 2001, Heber expulsou três atleticanos: Milton do Ó, Fabiano e Alessandro. As duas primeiras expulsões foram absolutamente excessivas, logo no início da partida, prejudicando tremendamente o Furacão. Depois de muito pressionar, e contando com a vantagem numérica, o Coritiba venceu por 2 a 0, com gols aos 31 e aos 38 do segundo tempo.

Finalmente, no primeiro jogo da final do Paranaense 2004, Heber expulsou o volante atleticano Vanderson aos 15 minutos do primeiro tempo (o jogador não tinha recebido sequer o amarelo). Posteriormente, Vanderson foi absolvido por unanimidade no Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná. Com um homem a mais, o Coritiba venceu o jogo por 2 a 1. Um ano depois, o árbitro reconheceu os erros cometidos contra o Rubro-Negro. "Eu paguei caro em outros Atletibas em que eu entrei queimando cartão amarelo, de forma incorreta, e depois aconteceram muitas expulsões. Então, a gente ganha experiência e melhora", afirmou.

Mais experiente, ele mudou o modo de atuar em termos disciplinares, mas o Atlético continuou sendo prejudicado. No dia 10 de abril de 2005, no primeiro jogo da final do Paranaense, Heber Roberto Lopes deixou de assinalar um pênalti claro em favor do Atlético. Curiosamente, o lance ocorreu justamente aos 18 minutos do primeiro tempo. Denis Marques fez boa jogada pelo lado direito do ataque e cruzou a bola para Aloísio. Na confusão na área, o zagueiro Miranda tocou com a mão na bola, recuando-a para o goleiro Fernando. O claro lance de pênalti foi visto pelas mais de 15 mil pessoas presentes no Pinheirão e pelas milhares de pessoas que acompanharam à partida pela televisão. Só Heber não viu e não marcou.



Últimas Notícias

Torcida

Domingo é decisão

A partir das 11h do próximo domingo dia 16 de fevereiro, Athletico e Flamengo se enfrentam no estádio Mané Garrincha em Brasília em jogo único…

Opinião

Tamanho

Conheci Jasper em Santiago há alguns anos. Holandês de nascença, já era cidadão do mundo fazia algum tempo e morava no Chile há alguns meses.…