10 dez 2007 - 12h59

Valencia, o guerreiro da Baixada!

O colombiano Edwin Armando Valencia Rodríguez, ou simplesmente Valencia, realmente caiu nas graças da torcida atleticana. Seu vigor físico e a sua raça foram aliados primordiais para que Valencia fosse apontado por 60,9% dos internautas que votaram na enquete realizada pela Furacao.com nos últimos dias e que teve mais de 6100 participantes. Nascido na cidade de Florida, este colombiano de 22 anos tem seus direitos federativos presos ao Clube Atlético Paranaense e seu contrato com o Furacão vai até abril de 2009.

Valencia foi contratado pelo Furacão no início do ano de 2007. O jogador ficou vários meses apenas treinando, devido a problemas para a liberação de sua documentação pelo América de Cali, da Colômbia. O primeiro jogo de Valencia pelo Atlético foi no amistoso de despedida de Paulo Rink, mas a partida de estréia do colombiano com a camisa rubro-negra foi diante do Palmeiras, no Parque Antártica, no dia 24 de junho 2007. Na oportunidade, Valencia foi muito elogiado pelo então treinador do Furacão, Antônio Lopes. “Gostei muito do gringo, o Valencia, mostrou que é um grande jogador, tem uma noção de marcação muito boa, sabe sair jogando muito bem, quase não erra nessa saída de bola. E nós ganhamos com o Valencia porque ele não erra passe e ganhamos no contra-ataque”, disse Lopes na entrevista coletiva após a partida contra o Palmeiras.

Valencia jogou duas partidas contra Palmeiras e Paraná, mas depois ficou seis rodadas de fora do time titular, tratando de uma lesão. No total, o volante ficou 25 dias em tratamento e seu retorno foi no empate contra o Grêmio, em Porto Alegre, partida em que Alex Mineiro e Evandro saíram gravemente feridos.

De lá para cá, a cada rodada o volante atleticano mostrou dentro de campo que a camisa rubro-negra só se veste por amor. Dono de disposição invejável, ele arrancou elogios da grande parte de cronistas esportivos presentes nos jogos do Furacão e da torcida atleticana, que via nascer seu mais novo candidato a ídolo.

Os números de Valencia com a camisa atleticana

O aproveitamento de Valencia com a camisa do Atlético, em 2007, foi de 58,33%. O atleta fez 24 jogos com a camisa rubro-negra, venceu 12 partidas, empatou seis e perdeu outras seis. O volante colombiano foi suspenso duas vezes por cartões amarelos e não recebeu nenhum cartão vermelho em 2007. Com Valencia em campo, o Atlético marcou 36 gols e a defesa sofreu 28 gols.

Número de partidas: 24, sendo 1 amistoso e 1 partida pela Copa Sul-americana, as demais pelo Campeonato Brasileiro.

Número de vitórias: 12
Número de empates: 6
Número de derrotas: 6
Gols Pró: 36
Gols contra: 28
Cartões Amarelo: 7

O respeito da torcida atleticana por Valencia é expresso em algumas mensagens colhidas no Fórum Furacao.com, principal espaço de debates sobre o clube na Internet:

"Perdi a conta de quantos passes ele interceptou hoje (contra o São Paulo). O cara tava em tudo quanto é lugar! Aposto que se eu tentasse chutar uma bolinha de papel ali na arquibancada, ele aparecia por lá e me desarmava também.", por tofanaticano.

"Valencia é o melhor volante que eu já vi jogar pelo Atlético.", por Lambara.

Valencia não marca, ele neutraliza. Valencia não corre, os adversários que correm de Valencia. Valencia não erra passes, os companheiros que estão mal colocados. Valencia não ganha Bola de Prata, apenas diamante é digno de Valencia.", por Do Contra.

"É o principal do time sem dúvida. A defesa não tem passado mais sufoco. Raras são as faltas perto da área e os levantamentos de bola que eram um terror. E a saída de bola tem qualidade. Se tivesse um bom camisa 10 no meio seu futebol ia aparecer muito mais.", por Milan.

"Valencia é o cara. Teve um lance que ele cabeceou a bola pra cima, deu uma cambalhota pra trás, e ainda levantou e deu um bico pra frente. Sensacional.", por Damin.

"A principal virtude do cara é ele ter a total consciência do que é capaz ou não de fazer. Não inventa. Marca, tira e toca de lado. Muito bom jogador mesmo.", por Gust1984.

"Hoje (jogo na Arena da Baixada, contra o Sport), com o drible da cambalhota, se consolidou como um dos meus maiores ídolos no CAP da atualidade.", por Patrícia.

"O Valencia não é humano! Não pode ser! Sério, ele não apenas tinha que ser convocado pra seleção da Colômbia, como tinha que escolher os outros 10 que ele queria jogar!", por Faret.

"Valencia é o esteio do meio campo. Seu futebol ágil e moderno deu nova dinâmica à meia cancha atleticana, principalmente por seu exemplar posicionamento e grande poder de recuperação. Todo o meio campo cresceu com sua entrada e principalmente, deixamos de ficar perigosamente com a bola rondando a entrada da nossa área, mantendo os adversários mais longe do gol rubro-negro. E pensar que com Vadão, ele sequer era aproveitado nos coletivos", por Juarez Villela Filho.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…