2 jan 2008 - 12h08

Torcida: o grande reforço de 2007

Oh Rubro-negro, eu te digo
Nesta campanha estarei sempre contigo
E cantaremos de coração
O tempo todo incentivando o Furacão
Não importa a partida
Que você disputará
Eu te sigo em toda parte
Cada vez te quero mais!”

A nova letra da Torcida Organizada Os Fanáticos, que estreou nas arquibancadas da Baixada neste ano, foi uma espécie de manual seguido pelos atleticanos durante toda a temporada. A letra da música traduz com perfeição o amor, a dedicação, a cumplicidade do atleticano com o Atlético, independente da fase em que o time passe nas competições. E foi o amor, a dedicação, a cumplicidade ingredientes fundamentais para o Furacão se levantar, ressurgir das próprias cinzas e voltar a soprar forte na temporada passada. Certamente esses serão ingredientes essenciais para que o clube tenha em 2008 uma nova trajetória, com novos desafios e novas conquistas.

2007 começou com uma novidade para a torcida. Depois de anos vendendo pacotes de ingressos para a temporada, a diretoria inovou e lançou o Sócio Furacão, fazendo com que todos os torcedores que aderissem ao plano tornassem automaticamente sócios do clube, podendo participar mais de perto das decisões e do dia-a-dia do Atlético.

Além disso, o valor do preço dos ingressos sofreu uma nova política do clube. Na Copa do Brasil, quando o clube viu em perigo o seu sonho de conquistar o torneio, pela primeira vez em muito tempo o Atlético lançou uma promoção especial de ingressos: todos os bilhetes eram comercializados como meia-entrada, com os sócios ganhando um ingresso-extra para oferecer a algum familiar ou amigo. A medida surtiu efeito, com o Atlético lotando a Kyocera Arena nos jogos contra Vitória (19.691 pessoas), Atlético-GO (14.220 pessoas) e Fluminense (24.497 torcedores).

Atleticanos lotaram a Baixada e fizeram valer o “fator Baixada” a favor do clube [foto: Giuliano Gomes]


A redução no preço dos ingressos foi mantida durante todo o segundo turno do Campeonato Brasileiro. O Atlético passava por momentos difíceis, correndo um real risco de ser rebaixado para a segunda divisão. E a torcida esteve a postos, para lotar a Baixada e empurrar no grito o time para as vitórias contra Atlético-MG, Palmeiras, Paraná, Botafogo, Vasco, América e Grêmio. A partir do jogo contra o Paraná, a diretoria decidiu ampliar os setores com ingressos mais baratos no estádio, reduzindo o preço dos setores curvas (Buenos Aires e Madre Maria). Toda a festa foi programada, num clima de união em torno do Atlético raramente visto, transformando novamente o “fator Baixada” no principal aliado do Furacão.

Mosaicos
Em 2007, aconteceram novas edições do Mosaico Furacão, que vem se notabilizando como uma criativa idéia para colorir e dar uma força a mais ao Atlético nos principais jogos disputados pelo time na Arena. Foram três mosaicos neste ano: o profético mosaico contra o Vitória, na Copa do Brasil, contra o Fluminense, também na Copa do Brasil, e contra o Palmeiras, marcando a reação atleticana no Brasileiro.

Mosaico Furacão foi “profético” contra o Vitória, na Copa do Brasil [foto: Giuliano Gomes]


A caveira voltou!
2007 também será marcado como o ano em que a caveira pôde voltar às arquibancadas da Baixada. No clássico contra o Paraná Clube pelo Campeonato Brasileiro, no maior público do ano na Arena, as tradicionais caveiras da Torcida Organizada Os Fanáticos voltaram para as arquibancadas, dando uma força a mais na torcida pelo Furacão e intimidando os adversários.

Horto Magiko
“Atlético, canto por ti o meu amor!” O ano de 2007 foi marcado também pela estréia do Horto Magiko, numa versão atleticana da música do Panathinaikos, da Grécia, nas arquibancadas da Baixada. A estréia da música aconteceu no jogo contra o Fluminense, na Copa do Brasil, numa grande mobilização da torcida atleticana. Até hoje, a letra do Horto Magiko é “ensaiada” nas arquibancadas do estádio, num verdadeiro hino sobre o amor e o atleticanismo presente em cada torcedor.

Em 2007, a torcida atleticana pôde exercer mais 365 dias do que sabe fazer de melhor: apoiar e torcer pelo Furacão. A esperança de todos é que o ano tenha marcado um novo momento na relação entre a diretoria do Atlético e a torcida. Tempos de respeito mútuo em torno de um ideal maior: contribuir para o crescimento do Atlético Paranaense no cenário brasileiro e mundial, fazendo valer uma máxima que já vem se tornando uma espécie de lema para a torcida rubro-negra: nenhuma conquista é impossível para um Atlético unido. Essa é, certamente, a grande mensagem de 2007 para todos que torcem e trabalham no dia-a-dia do Atlético Paranaense. “Raça, fibra, sangue, alma de guerreiro”: esse é o espírito, que sempre irá acompanhar todos os atleticanos.



Últimas Notícias