17 jan 2008 - 18h58

Vendas do Sócio Furacão são suspensas

Através de uma coletiva de imprensa, Mário Celso Petraglia, João Augusto Fleury da Rocha e Mauro Holzmman anunciaram na tarde desta quinta-feira a paralisação temporária e por tempo indeterminado da venda dos planos de sócio do Clube Atlético Paranaense. O sistema encomendado pelo clube à uma empresa especializada para gerenciar a adesão dos sócios não funcionou corretamente. As razões do problema ainda são desconhecidas, mas a grande procura dos torcedores causou uma sobrecarga no sistema e piorou a situação.

O lançamento dos planos do Sócio Furacão 2008, na última segunda-feira, causou grande impacto na torcida atleticana. Imediatamente, milhares de torcedores manifestaram intenção em se tornar sócios. Já no dia seguinte, o movimento no Espaço Sócio Furacão foi intenso. Com o sistema fora do ar, os torcedores receberam senhas para ter a preferência de escolher as cadeiras e finalizar o procedimento de adesão. O site www.sociofuracao.com, que deveria receber inscrições online, acabou não sendo lançado.

Em face desses problemas, a diretoria do clube resolveu tomar uma medida para não prejudicar os torcedores e resolver a situação de uma vez por todas. Na coletiva desta quinta, eles revelaram que a empresa responsável pelo sistema presta serviços para o clube há dois anos e tem larga experiência no mercado. Mesmo com essas garantias, o sistema não funcionou adequadamente. O Atlético contratou uma empresa de auditoria para realizar uma minuciosa investigação. Uma equipe de profissionais está trabalhando em período integral para descobrir o mais rápido possível as causas da pane.

Desculpas e apelo

A preocupação da diretoria nesse momento é que o torcedor não perca a motivação e o envolvimento na adesão dos planos. Petraglia ressaltou a resposta positiva da torcida e disse que espera contar com a motivação dos torcedores quando o Sócio Furacão for relançado. "Houve uma aceitação incontestável. O sentimento do clube é de indignação, perplexidade e tristeza. A paralisação foi a melhor solução para que o torcedor seja atendido com a qualidade merecida. Queremos que a torcida continue acreditando", afirmou.

Segundo o presidente Fleury, o projeto já alcançou os objetivos iniciais da diretoria, criando um engajamento do torcedor com o clube. "Estamos todos mobilizados. O nível de qualidade do sistema não está à altura da qualidade que a torcida do Atlético merece. Estamos buscando explicações. As falhas ocorridas foram primitivas, primárias, absurdas e inaceitáveis. Jamais o torcedor atleticano será abatido com uma simples falha no sistema", afirmou o presidente.

A utilização de mecanismo manual foi descartada por não ser a solução que todos desejam. A demanda é muito grande e a qualidade do atendimento seria reduzida. O ritmo seria perdido e o objetivo não seria alcançado.

A diretoria garante que nenhum torcedor terá prejuízo por conta desse problema. Os sócios atuais não foram afetados pela pane. "O prejuízo moral vai da minha frustração. Nenhuma hipótese foi descartada, incluindo boicote. Estamos batalhando pela volta do sistema o mais rápido possível para poder atender o torcedor da maneira merecida", finalizou Fleury.

Ainda não há data para a retomada das vendas. A Furacao.com continuará informando aos torcedores assim que houver novidades sobre o Sócio Furacão 2008.



Últimas Notícias

Opinião

Céu e inferno

Qual a semelhança entre Casemiro Mior, Flávio Lopes, Heriberto da Cunha, Ricardo Drubscky, Leandro Ávila e Fabiano Soares? E entre Geninho, Antonio Lopes, Paulo Cesar…