28 jan 2008 - 9h54

Portuguesa Londrinense, mas pode chamar de CAC/Lusa

O próximo adversário do Atlético no Campeonato Paranaense será o CAC/Lusa. Ao torcedor que conferiu na tabela oficial da competição e localizou o jogo "Portuguesa Londrinense x Atlético", é necessário fazer um aviso: CAC/Lusa é o nome fantasia da Portuguesa.

A história é a seguinte: a equipe é resultado da fusão da Portuguesa Londrinense com o Cambé, em algo semelhante ao que ocorreu com a Adap Galo há algum tempo.

A Associação Portuguesa Londrinense é um clube tradicional, fundado em Londrina em 1950. Depois de um período sem participar de competições oficiais, a associação foi reativada recentemente e passou a representar a cidade do norte do estado.

Em 2006, a Lusinha decidiu juntar forças ao Cambé Atlético Clube (CAC), da cidade vizinha. Oficialmente, o clube está registrado na CBF como Associação Portuguesa Londrinense e é com esse nome que está inscrito no Campeonato Paranaense. Na prática, o clube vem sendo chamado de CAC/Lusa ou CAC/Portuguesa Londrinense. No lugar do uniforme branco com detalhes em vermelho e verde, adotou camisa alvinegra e calção preto. O escudo também foi modificado: a base é do CAC, com a inclusão do antigo escudo da Lusa na parte superior e do mascote galo na parte inferior.

Vote na Furacao.com no iBest 2008


Se não bastassem todos esses nomes, o time também é conhecido por "Galo da Comarca". Os jogos são realizados no Estádio José Garbelini, na cidade de Cambé. O site oficial do time pode ser acessado no endereço www.caclusa.com.br.

Parcerias

O principal objetivo do CAC/Lusa parece ser a revelação de jogadores para negociação com clubes do exterior. Alguns atletas formados no clube estão espalhados em países periféricos no mundo da bola, como Costa Rica, Honduras, Guatemala, Romênia, Bélgica, Bulgária e Turquia.

Para a disputa deste Campeonato Paranaense, a diretoria da CAC/Lusa acertou uma parceria com as empresas Anjobol e Europa Sports. Em virtude disso, o técnico da equipe é o folclórico Israel de Jesus, que se tornou conhecido depois de se tornar tema de reportagens da imprensa na época em que comandava a Portuguesa Santista (confira matérias do Pelé.Net e da Gazeta Esportiva).

Criativo, ele resolveu implantar um sistema em que os jogadores não possuíam posição tática definida. Assim, o zagueiro poderia ir para o ataque e o meia viraria lateral. Batizou o esquema de "roleta-russa". Empresário do futebol e ex-pagodeiro, Israel de Jesus foi também técnico e presidente da Matonense e dirigiu ainda o Iguaçu antes de assumir o CAC/Lusa.



Últimas Notícias