31 jan 2008 - 22h53

Desempenho de Furacão

Sete jogos, sete vitórias. O desempenho do Atlético até aqui no Campeonato Paranaense 2008 é histórico e com a vitória sobre o CAC/Lusa nessa quarta-feira, o Rubro-Negro igualou a marca de sete vitórias consecutivas alcançadas em 1996, quando tinha no comando de ataque a dupla Oséas e Paulo Rink. Naquele ano, o time começou muito bem o Estadual, sob o comando do técnico Emerson Leão, mas não conquistou o título, com o time caindo assustadoramente de rendimento após a saída do treinador e a chegada de Cabralzinho.

Mas não apenas essa marca histórica o Furacão alcançou neste início espetacular de campeonato. A sétima vitória consecutiva no Campeonato Paranaense superou a série de dois times atleticanos campeões estaduais: o de 1929, no segundo título paranaense conquistado pelo clube, e o de 1945.

Em 1929, o Atlético conquistou seis vitórias consecutivas nas seis primeiras rodadas do Campeonato Paranaense: contra Britânia (4 a 1), Aquidaban (10 a 0), Paranaense (7 a 0), Brasil (4 a 1), Bangu (8 a 1) e Palestra Itália (4 a 1). O primeiro tropeço ocorreu na sétima rodada, no empate por 4 a 4 no clássico contra o Coritiba, na última rodada do primeiro turno. No segundo turno, o time continuou com uma campanha muito boa, obtendo outras quatro vitórias e um empate, conquistando o título invicto de forma antecipada na penúltima rodada, no clássico Atletiba, com vitória por 2 a 1. Naquela época o Atlético tinha como destaques o goleiro Alberto (irmão de Alfredo Gottardi, o Caju) e Zinder Lins, autor da letra do hino do clube. A formação do time campeão era: Alberto; Anjolilo e Borba; Altino, Falcine e Rosa; Levoratto, Marreco, Urbino, Zinder e Maranhão.

Dezesseis anos depois, em 1945, o Atlético voltou a protagonizar uma campanha memorável. Foram seis vitórias consecutivas, que resultaram num primeiro turno com 100% de aproveitamento: vitórias sobre Água Verde (5 a 0), Britânia (3 a 1), Ferroviário (4 a 2), Coritiba (4 a 2), Comercial (2 a 0) e Juventus (1 a 0). O tropeço veio na sétima rodada, com o empate em 1 a 1 contra o Britânia. Mesmo assim, a campanha atleticana foi fantástica, com 11 vitórias, 2 empates e 2 derrotas e o título emocionante conquistado na prorrogação contra o Coritiba. O time de 1945 tinha uma base que se consagrou quatro anos depois na melhor formação já vista no futebol paranaense, o Furacão de 1949. O Atlético de 1945 jogava com a seguinte formação: Caju; Zanetti e Augusto; Joaquim, Nilo e Lolô; Xavier, Jackson, Guará, Lilo e Cireno.

O melhor time de todos os tempos

O sucesso em campo obtido pelos comandados do técnico Ney Franco em 2008 levam a imaginação do torcedor a relembrar o histórico Furacão de 1949, que conquistou o Campeonato Paranaense daquele ano de maneira irretocável. Não é à toa que até hoje a equipe formada por Laio; Nilo e Waldomiro; Waldir, Wilson e Sanguinetti; Viana, Rui, Neno, Jackson e Cireno, sob o comando do técnico Motorzinho, é considerada o melhor time da história do futebol paranaense.

Em 1949, o Atlético conquistou o título com 11 vitórias consecutivas, a maioria delas com goleadas memoráveis. A única derrota veio na última rodada, quando a taça de campeão já estava garantida. A campanha espetacular foi coroada ainda com a incrível média de gols, mais de 4 por partida: foram 49 gols pró e 19 contra. Um futebol digno de Furacão!

Relembre as trajetórias históricas do Atlético nos títulos Paranaense de 1929, 1945 e 1949 na sessão “Títulos” da Furacao.com:

1929 – Campeão invicto
1945 – Campanha brilhante e ataque fulminante
1949 – Um Furacão assombra o Paraná



Últimas Notícias

Opinião

Céu e inferno

Qual a semelhança entre Casemiro Mior, Flávio Lopes, Heriberto da Cunha, Ricardo Drubscky, Leandro Ávila e Fabiano Soares? E entre Geninho, Antonio Lopes, Paulo Cesar…