8 mar 2008 - 16h48

Vida que segue

É hora de levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Se existisse trilha sonora para um clube de futebol, a música de Paulo Vanzolini seria a canção ideal para o atual momento do Atlético na temporada 2008. A inesperada desclassificação na primeira fase da Copa do Brasil trouxe consigo uma série de questionamentos, dúvidas e muita desconfiança por parte do torcedor quanto ao futuro do Rubro-negro na temporada. Mas tão importante quanto rever as estratégias e planejar um “novo ano de 2008” (agora, sem a Copa do Brasil) o Atlético precisa da união de todos para provar que pode renascer na temporada.

Nesta fase de recomeço, jogadores, comissão técnica, dirigentes e torcida precisam unir forças para mostrar que o Furacão não está no fundo do poço e que dias melhores virão com o trabalho dedicado e comprometido, exaltando a cada instante o amor às cores rubro-negras.

Por isso, no “novo ano de 2008” que se inicia, é hora de todos reverem seus princípios. Jogadores e comissão técnica precisam avaliar o que deu errado, corrigir as falhas e trabalhar para a cada dia dar o melhor de si para as vitórias dentro de campo. A diretoria também precisa rever a sua política de gestão do futebol, com a certeza de que não há trabalho de sucesso sem uma matéria-prima de qualidade e que o grande diferencial do Atlético sempre foi a força do conjunto, que não pode ser desfeito repentinamente para que não se comprometa o resultado final. E finalmente a torcida também precisa rever a sua conduta, entendendo a sua responsabilidade para cobrar por mudanças na hora certa e incentivar o time na hora certa. Não existe trabalho que saia bem feito na base da pressão e mais do que as vaias e os pedidos por reforços, o time dentro de campo precisa do nosso apoio e do nosso incentivo.

Neste domingo, 09 de março, a temporada 2008 recomeça para o Furacão, contra o Iraty, no estádio Coronel Emílio Gomes. O jogo tem todos os ingredientes para marcar uma nova fase do Atlético na temporada 2008, num trabalho sério e comprometido de todos os pilares que formam o clube (diretoria, torcida, atletas e comissão técnica) para que o restante do ano seja vencedor.

Muitas vezes, críticos, adversários e oponentes apostaram que o Atlético estava no fundo do poço. Mas com o trabalho sério, com a força, a raça e a alma de guerreiro que sempre acompanharam o Furacão, mostramos que a cada adversidade nos fortalecemos ainda mais, para juntos construirmos um Atlético cada vez melhor. Conte sempre com a gente, Clube Atlético Paranaense!



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Vamos, Ó Meu Furacão…

O Athletico vive situação delicada no Brasileirão, na zona de rebaixamento. A equipe buscava reagir – eram oito jogos sem triunfos (três empates e cinco…

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…