14 mar 2008 - 18h40

Petraglia concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira

A diretoria do Atlético concedeu uma entrevista coletiva à imprensa na tarde desta sexta-feira na sala de imprensa da Kyocera Arena. Os presidentes do Conselho Deliberativo do clube, Mario Celso Petraglia, e do Conselho Gestor, João Augusto Fleury da Rocha, falaram sobre o momento atual do Furacão, a eliminação do clube na Copa do Brasil e a política de negociação de atletas, disparando graves denúncias ao São Paulo Futebol Clube e a ex-jogadores do Atlético e hoje no clube paulista, Dagoberto e Aloísio. A Furacao.com esteve representada na coletiva pelos colaboradores Gustavo Rolin e Rodolfo Colnaghi. Segundo Petraglia, a entrevista coletiva foi uma ação da diretora de comunicação do clube, Luciana Pombo, dentro do novo programa de comunicação do Atlético.

Entre as principais novidades apresentadas por Petraglia está a preocupação crescente do clube em obter fontes alternativas de receitas. Para isso, o Atlético fechou contrato com uma empresa para o fim de obter um contrato de ”naming rights” relativamente ao Centro de Treinamentos Alfredo Gottardi – num contrato parecido ao que o clube firmou em 2005 com a empresa Kyocera, para o direito de uso do nome da marca no estádio Joaquim Américo, comercialmente chamado de Kyocera Arena. "Nós contratamos uma empresa norte-americana que vai nos ajudar a vender os espaços. Estamos vendendo os naming rights do CT", anunciou. O dirigente atleticano reiterou também a importância da participação dos torcedores nesse processo, aderindo ao Sócio Furacão, o principal canal para a democratização na gestão do clube.

Sobre o atual momento do time (eliminado na primeira fase da Copa do Brasil e que precisa se recuperar no Campeonato Paranaense após uma excelente primeira fase), Petraglia revelou que está triste com esses fatos, mas que a fórmula de disputa em estilo mata-mata possibilita esse tipo de situação, em que nem sempre o melhor vence uma partida. Quanto às cobranças da torcida, ele disse que “não está devendo nada ao torcedor” e que, no balanço de 13 anos de sua gestão no clube, o saldo é positivo.

Denúncia

Sobre a contratação de reforços para o time, Mario Celso Petraglia disse que a diretoria e o departamento de futebol atleticano trabalham nesse sentido, visando as competições do segundo semestre – Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana.

""

Já a respeito do desmanche do time nas últimas semanas, com a saída de três atletas titulares, o presidente lamentou a realidade econômica e fez graves denúncias ao São Paulo Futebol Clube. Segundo Petraglia, os ex-jogadores do Atlético e hoje atletas do clube paulista, Dagoberto e Aloísio, trabalham na intermediação da negociação do clube com os jogadores do Atlético. Ele revelou ainda que, assim como já fizeram com Jancarlos, os jogadores ligaram nesta quinta-feira ao zagueiro Danilo, dizendo-lhe para “arrumar confusão no Atlético” e poder se transferir ao clube paulista. Segundo Petraglia, essa prática ganha o reforço também de Marco Aurélio Cunha, superintendente do São Paulo. "Ontem nós administramos um problema com o Danilo. Sabe quem ligou pro Danilo? O Aloísio, o Jancarlos, o Marco Aurélio Cunha e o Muricy (Ramalho). Queriam que ele criasse um problema com o Atlético e deixasse o clube", revelou Mario Celso Petraglia.

Petraglia disse ainda que as negociações de Claiton e Ferreira são uma triste realidade para o clube, que não pode competir com os valores oferecidos pelo mercado internacional.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…