25 mar 2008 - 17h53

De novo ele?

Assim como na última temporada, Atlético e Paraná Clube fazem um confronto que pode decidir seus futuros no Campeonato Paranaense. E, além deles, outro protagonista da semifinal do ano passado estará em jogo: o árbitro Heber Roberto Lopes. Naquele jogo, a torcida atleticana saiu na bronca com o árbitro, devido à expulsão de Netinho ainda no primeiro tempo e a um pênalti não marcado no lateral-esquerda Marcão, que recebeu cartão amarelo no mesmo lance.

Nem o técnico do Atlético na ocasião, Oswaldo Alvarez, o Vadão, foi político na entrevista coletiva. "O que teve influência foi a arbitragem. No primeiro tempo, tivemos dois lances onde fomos agredidos sem bola, o bandeira não viu, o árbitro não viu, ninguém viu. Ele não deu pênalti no Marcão e amarelou o Marcão. Minou o tempo todo. Eu coloquei ele como melhor árbitro, mas esteve totalmente fora e teve influência sim. No campeonato, vim com calma, com tranqüilidade e foi visível que a arbitragem influenciou", desabafou.

Indicação para o próximo jogo

A decisão da FPF não agradou aos torcedores atleticanos. No Fórum Furacao.com e na comunidade do Atlético no Orkut, queixas da torcida contra a indicação. Entre os muitos comentários impublicáveis, o usuário LOG, do Fórum Furacao.com faz seu prognóstico do jogo. "Vai apitar como sempre. Deixar de marcar uma faltas para nosso time, marca umas inexistentes para o Paraná Clube. Lá pelos 30 do primeiro tempo já temos uns 3 amarelados", profetiza. Outro "forunista", Bruno.cap91, também reclama, mas acredita numa vitória rubro-negra. "Com Heber no apito, fica complicado. Mas vamos passar por cima do Paraná, com ou sem Heber". A mesma opinião é seguida por Vinícius, da Comunidade do Atlético no Orkut: "Contra tudo e contra todos, acredito no Atlético campeão esse ano!!".

A diretoria do Atlético ainda não se pronunciou, mas, em outras oportunidades, até o alto comando do clube rejeitou a indicação. Foi no jogo entre Atlético e Paraná Clube, desta vez pelo Campeonato Brasileiro de 2007. "O Clube Atlético Paranaense não pode entender e concordar com a insensibilidade da CBF em escalar o árbitro paranaense Heber Roberto Lopes para apitar a partida de sábado, contra o Paraná Clube, na Vila Capanema" O protesto enfatizava o último jogo entre as duas equipes com Heber no apito. "Um árbitro da Federação Paranaense de Futebol e que tem um histórico de prejuízos ao Atlético Paranaense. Quem não lembra dos jogos da semifinal do Campeonato Paranaense deste ano, em que Heber minou o time atleticano durante os 90 minutos com faltas invertidas, pênaltis não marcados e a expulsão de um atleta rubro-negro ainda no primeiro tempo?".

Na indicação e Heber para o jogo do Brasileirão, a Furacao.com relembrou o histórico do árbitro em partidas do Atlético, em especial no clássico Atletiba daquela temporada. "Aos 19 minutos do 1º tempo, Heber assinalou um pênalti para o Coritiba em jogada curiosa: após a cobrança de escanteio, o juiz viu o zagueiro Danilo segurando Henrique. Vale ressaltar que lances de jogadores se segurando dentro da área foram comuns durante todo o restante da partida, mas o árbitro não utilizou o mesmo critério (e rigor) para marcar as outras faltas. O placar final em 2 a 2 manteve uma sina: o Atlético nunca conseguiu vencer um clássico Atletiba com Heber Roberto Lopes no apito (até aqui foram cinco Atletibas, com quatro vitórias coxa-branca e um empate)", escreveu.

Outro jogo lembrado foi um dos Atletibas de 2001. Naquele jogo, o Atlético teve três jogadores expulsos ainda no primeiro tempo. "No Atletiba de 11 de fevereiro de 2001, Heber expulsou três atleticanos: Milton do Ó, Fabiano e Alessandro. As duas primeiras expulsões foram absolutamente excessivas, logo no início da partida, prejudicando tremendamente o Furacão. Depois de muito pressionar, e contando com a vantagem numérica, o Coritiba venceu por 2 a 0, com gols aos 31 e aos 38 do segundo tempo".

No outro lado da Engenheiros Rebouças

A arbitragem esquentou a rivalidade para o clássico. Se, de um lado, a torcida atleticana reclama de Héber, de outro, a torcida do Paraná ironiza o "chororô", relembrando as reclamações com a arbitragem de jogadores e dirigentes do Botafogo no clássico que decidiu a Taça Guanabara contra o Flamengo, neste ano.

O colunista do Paraná Clube no Blogol, do portal Jornale, Alphonse Voigt, provocou os rubro-negros: "De qualquer forma será ele, o maior apitador de todos os tempos no Paraná que comandará o espetáculo. Héber é paranaense da gema, pé vermelho e portanto isento", escreveu

A diretoria do Paraná gostou da indicação de Heber. O presidente do clube, Aurival Correia e o vice-presidente de futebol, Durval Lara Ribeiro, o Vavá, aprovaram o árbitro. "Até que enfim, um árbitro de qualidade", opinou Vavá ao portal Paraná Online, seguido de Correia: "Excelente".

Os dirigentes prestaram reclamações às arbitragens no Paranaense e sugeriram que o Atlético estaria sendo beneficiado. "Lá em Engenheiro Beltrão, foi assim. No primeiro tempo, o adversário fez cinco vezes mais faltas do que a gente e só nossos jogadores foram advertidos. Além disso, me falaram que em Iraty, o Danilo (zagueiro do Atlético) deveria ter sido expulso", afirmou Vavá ao portal.

Rodada dupla

Antes da partida entre Atlético e Paraná, Heber Roberto Lopes apita nesta terça-feira San Lorenzo x Real Potosí, pela Copa Libertadores da América, na Argentina. Nas duas partidas, Heber será auxiliado pelo assistente Roberto Braatz.



Últimas Notícias