25 mar 2008 - 17h57

Fluminense e CBF são condenados por "virada de mesa" em 96

O Fluminense, o Bragantino e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foram condenados hoje a pagar uma indenização moral de 2% sobre a receita arrecadada no Campeonato Brasileiro de Futebol de 1996, em razão da "virada de mesa" no Brasileiro daquele ano. O dinheiro será destinado ao Fundo Estadual de Reconstituição de Bens Lesados, incidindo juros legais de mora (1% ao mês) e atualização desde a sentença.

A decisão foi tomada pelo juiz Wilson Marcelo Kozlowski Junior, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro atendendo um pedido do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro.

A decisão é passível de recurso e os clubes e a entidade serão notificados ainda nesta semana.

No Campenato Brasileiro de 96, o Fluminense foi rebaixado para segunda divisão, assim como o Bragantino. No entanto, no ano seguinte, a CBF cancelou o rebaixamento após uma denúncia sobre seu chefe de arbitragem, Ives Mendes.

Mesmo assim, o time carioca caiu novamente para segunda divisão em 97 e em 98 chegou a ir para a Série C. Com o técnico Carlos Alberto Parreira, em 99, a equipe tricolor subiu para a Série B.

No ano sequinte, a CBF foi impedida de organizar o Campeonato Brasileiro, passando o comando para o Clube dos 13, que convidou o Fluminense para participar da chamada Copa João Havelange, voltando a jogar na elite do futebol nacional.



Últimas Notícias