20 abr 2008 - 18h26

Ney Franco: "Jogamos com o regulamento embaixo do braço"

O técnico Ney Franco admitiu que o Atlético adotou uma postura cautelosa no jogo deste domingo diante do Toledo Colônia Work, no Estádio 14 de Dezembro. Podendo perder por até um gol de diferença para se classificar para a final do Campeonato Paranaense, o Furacão jogou com apenas um atacante, e reforçou o sistema defensivo com dois volantes e três zagueiros.

O esquema funcionou e o Atlético não sofreu pressão do time da casa. Mesmo assim, o Toledo acabou conseguindo a vitória nos acréscimos. Na entrevista coletiva, o técnico Ney Franco disse que o Atlético "jogou com o regulamento embaixo do braço", expressão que indica a postura de aguardar o adversário e não partir para o ataque.

Durante a entrevista, o treinador comentou sobre a decisão com o Coritiba e repetiu um clichê do mundo do futebol: em clássico não há favoritos. Confira as principais declarações dele:

SEM RISCOS
"Nossa equipe não estava correndo risco nenhum de tomar o gol e nós tivemos sete oportunidades de matar o jogo. A equipe do Toledo é uma boa equipe, fez uma boa campanha. É legal chegar no interior e encontrar um campo bom para jogar, uma torcida ordeira, com exceção do pessoal que esteve de madrugada para soltar foguete. A gente achava que não existia mais isso no futebol. Mas soubemos contornar isso e a equipe do Toledo está de parabéns."

ADMINISTRANDO O RESULTADO
"É uma proposta que deu certo. Eu não posso esconder para vocês que a gente veio para esse jogo com o regulamento embaixo do braço, avalio que todos os jogadores fizeram uma boa partida. O Pimba, além de ajudar muito o meio-campo, ofensivamente ele fez aquilo que vimos durante a semana. O golzinho que a gente tomou no finalzinho deixou a gente um pouco frustrado, mas eu fico feliz de ver que os jogadores foram bem."

EQUILÍBRIO
"Vai ser uma final equilibrada, logicamente. É aquele clichê que vocês sabem: clássico não tem favorito. Nós temos de recuperar nossos jogadores ficamente e domingo fazer uma partida no estádio do Coritiba e dar uma arrancada inicial."

SUBSTITUTOS
"Todos os jogadores que estão entrando estão indo bem. Apesar da derrota, a equipe fez uma boa partida. O goleiro adversário estava inspirado, fez três defesas a nível de Seleção Brasileira."

FORÇA MÁXIMA
"Os atletas nossos que estavam pendurados com dois cartões amarelos não tomaram amarelo, o Danilo volta, então temos uma equipe forte para fazer o primeiro jogo da decisão."

JOGO ANTERIOR CONTRA O CORITIBA
"A equipe do Coritiba tinha acabado de trocar o treinador, a nossa equipe tinha três atletas que não estão mais aqui, nós jogávamos de forma totalmente diferente que jogamos hoje. O outro lado mudou muito também, a gente vê que o Dorival Júnior fez algumas mudanças."

FINAL ATLETIBA
"Foi interessante para o campeonato chegar duas equipes de tradição. A gente espera que quem for acompanhar essa final possa ver dois grandes jogos."

FAHEL
"Está muito bem encaminhada a contratação dele. É um jogador de grande qualidade técnica, ele dá a opção ao treinador de jogar tanto de zagueiro quanto de volante, o que a gente tentou fazer com o Antonio Carlos. Embora a nossa equipe tenha bons volantes, a gente tem de avaliar que vamos entrar num Campeonato Brasileiro, que tem muitas lesões, suspensões e no meio do ano há a janela para transferências. É um jogador que tem perfil de liderança e vem nos ajudar. Avalio que temos um grupo muito bem qualificado e falta muito pouco para a gente ajustar."

GUARU
"É um jogador que a gente vem acompanhando há muito tempo. Nos dois confrontos com a gente ele foi muito bem. É um jogador interessante. Logicamente, a questão de contratação é restrita à diretoria. Se tiver novidade, a gente informa no momento certo."



Últimas Notícias

Opinião

Céu e inferno

Qual a semelhança entre Casemiro Mior, Flávio Lopes, Heriberto da Cunha, Ricardo Drubscky, Leandro Ávila e Fabiano Soares? E entre Geninho, Antonio Lopes, Paulo Cesar…