4 maio 2008 - 17h48

Atlético vence, mas deixa o título escapar

Não deu. A torcida lotou a Arena, o Atlético venceu o Coritiba por 2 a 1, neste domingo, mas o título não ficou na Baixada. Como havia vencido a primeira partida da final por 2 a 0, o Coritiba Foot Ball Club sagrou-se campeão paranaense de 2008. Mesmo tendo realizado a melhor campanha, o Rubro-Negro ficou com o vice-campeonato. Netinho e Marcelo Ramos marcaram para o Atlético, enquanto que Henrique Dias descontou para o Coritiba.

Com duas modificações em relação à primeira partida (Pedro Oldoni e Léo Medeiros nos lugares de Pimba e Michel), o Atlético entrou em campo determinado a reverter o placar desfavorável. A idéia do técnico Ney Franco era a de realizar uma "blitz" ofensiva e pressionar o Coxa logo nos minutos iniciais. O Mosaico realizado pela torcida pediu "raça" dos jogadores e a torcida cantou o tempo inteiro. Nos primeiros minutos, o Coritiba tratou de esfriar o jogo, cavando faltas e tentando segurar a posse de bola.

Nei, Alan Bahia, Netinho, Pedro Oldoni e Marcelo Ramos eram os jogadores que demonstravam maior vontade e diversas vezes fizeram sinal pedindo apoio da torcida. Mesmo sem sufocar o Coritiba, o Atlético chegou ao primeiro gol no começo da partida, cumprimento a primeira meta do planejamento. Alan Bahia sofreu uma falta na ponta-direita. Netinho, envergando a camisa 6 mas atuando no meio-campo, cobrou com perfeição no ângulo oposto de Edson Bastos e fez a Arena explodir de felicidade.

Animado, o Atlético quase ampliou logo depois em dois lances de Pedro Oldoni. Aos 21, ele desviou de cabeça e Edson Bastos fez uma excelente defesa. Depois, o atacante aproveitou uma pixotada de Ricardinho, que tentou tirar a bola, mas acabou alçando na própria área. Pedro Oldoni mergulhou e a bola passou raspando a trave.

O Coritiba só ameaçava o Atlético quando Carlinhos Paraíba tinha a bola, seja em contra-ataques ou em cobranças de falta – em duas ocasições, Vinicius deu rebote e assustou a torcida. O Furacão teve ainda outras oportunidades de fazer o segundo gol ainda no primeiro tempo, mas Valencia e Alan Bahia não concluíram com precisão.

Mais uma falha individual

O Furacão voltou bem para a segunda etapa e quase ampliou quando Pedro Oldoni ajeitou e Alan Bahia disparou a bomba. Edson Bastos fez boa defesa e mandou para escanteio. O gol estava maduro e acabou saindo aos 9 minutos. O atacante Marcelo Ramos recebeu na direita, invadiu a área e bateu com categoria, deslocando o goleiro coxa-branca e igualando a decisão. Mantido esse placar, o título seria decidido na prorrogação. Valencia quase fez o terceiro logo depois, mas chutou para fora.

Até este momento, o Coxa não levava perigo ao Atlético e estava acuado com a pressão rubro-negra. O gol acabou surgindo, uma vez mais, em uma falha individual de jogadores do Atlético. Após um lançamento longo para a área rubro-negra, Danilo e Vinicius ficaram indecisos e Henrique Dias foi mais esperto: saltou e cabeceou para o gol. No primeiro tempo, uma jogada parecida havia ocorrido, mas Keirrison acabou sendo desarmado antes de concluir.

Coincidência ou não, o título estadual acabou escapando em virtude de falhas individuais. No primeiro jogo, no Couto Pereira, Valencia e Rhodolfo erraram e o Coritiba fez dois gols. Desta vez, Vinicius e Danilo bateram cabeça e acabaram comprometendo a vantagem conquistada até então.

Precisando fazer mais um gol para levar a decisão para o tempo extra, o Atlético viu suas chances serem sensivelmente diminuídas após as substituições. Rogerinho, Pimba e Piauí entraram muito mal e o time caiu assustadoramente de produção. Rogerinho chegou a fazer algumas boas jogadas e levou perigo à meta do Coritiba, mas nenhuma delas resultou em chance efetiva de gol.

Nos minutos finais, o Coritiba gastou o tempo trocando bola no ataque e chegou até mesmo a criar duas boas chances de empatar, uma com Henrique Dias (a bola passou raspando) e outra com Keirrison (na trave). Heber Roberto Lopes deu apenas dois minutos de acréscimo e apitou o final do jogo. A torcida atleticana, mesmo descontente com o vice-campeonato, gritou o nome do clube e aplaudiu o esforço dos jogadores.

%ficha=634%



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Vamos, Ó Meu Furacão…

O Athletico vive situação delicada no Brasileirão, na zona de rebaixamento. A equipe buscava reagir – eram oito jogos sem triunfos (três empates e cinco…

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…