21 maio 2008 - 14h49

Técnico construiu a carreira em São Paulo e Centro-Oeste

Roberto Fernandes, novo técnico do Furacão, é pernambucano, nascido na bela cidade de Recife no ano de 1971. Aos 37 anos de idade, Fernandes vai enfrentar o maior desafio da carreira. Até hoje, o clube mais importante em que ele trabalhou havia sido justamente o Náutico Capibaribe.

Apesar de ter nascido em Recife, o treinador possui uma vasta experiência principalmente no futebol do interior de São Paulo e do Centro-Oeste. Ele dirigiu oito equipes do interior paulista, tendo passado por cidades como Indaiatuba, Limeira, Lins, Guaratinguetá, São Bento, Araras, Santo André e Itu. Seus maiores feitos foram os acessos de divisões no Campeonato Paulista. Com o Primavera de Indaiatuba, subiu da Série A-3 para a Série A-2; com o São Bento, repetiu a mesma conquista; com o Guaratinguetá, passou da Série A-2 para a Série A-1.

Fernandes também teve experiência destacada em times de Goiás e do Distrito Federal. Em 2004, foi contratado pela Anapolina. Depois, teve duas passagens pelo Vila Nova e comandou ainda o Ceilândia e o Brasiliense, no DF. Com o time de Luiz Estevão, foi campeão distrital em 2007, semifinalista da Copa do Brasil e fazia boa campanha na Série B (estava em quarto lugar) quando foi contratado para assumir o Náutico.

Quando foi contratado pelo Timbu, enfrentou alguma resistência pelo fato de não ter dirigido clubes grandes e respondeu dessa maneira aos ressabiados: "As pessoas que não conhecem bem o futebol de outras regiões do Brasil podem afirmar que esses clubes não têm pressão da torcida. Pois o Vila Nova, por exemplo, tem uma torcida apaixonada e que cobra bastante. No Ceará, comandei muitos treinos para um público de quatro mil pessoas. No futebol, o que importa são as vitórias. Portanto, vamos lutar por isso para ganhar tranqüilidade".

Mais jovem do Brasil

Depois de trabalhar como auxiliar técnico e em times juvenis, Roberto Fernandes assumiu o comando do Ferroviário, de Fortaleza, tornando-se, então, o técnico mais novo a comandar uma equipe profissional no Brasil.

Nos anos de 2002 e 2003, ele também teve uma passagem pelo futebol paranaense. Inicialmente, dirigiu o time júnior do Londrina. Depois, comandou a equipe no Campeonato Paranaense e no Brasileiro da Série B. No Estadual, o Tubarão de Roberto Fernandes terminou a primeira fase em quarto lugar. No jogo único das quartas-de-final, eliminou o Atlético, que havia ficado em quinto lugar na fase inicial. Na semifinal, empatou os dois jogos e foi eliminado pelo Coritiba. Disputou o terceiro lugar e venceu o Prudentópolis. No Brasileiro da Série B, o Londrina terminou em décimo lugar.

Colaboração: Eduardo Betinardi



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Novo “Timoneiro”

Sim.. Estava na cara.. Eduardo Barros, apesar de muito promissor e ser Sim, um nome para treinar a equipe rubro negra.. Ainda estava “Cru” e…