23 maio 2008 - 11h53

Torcedor do Náutico faz análise sobre Roberto Fernandes

A Furacao.com entrou em contato com torcedores do Náutico Capibaribe, último clube de Roberto Fernandes, para obter mais informações sobre o novo técnico atleticano. Confira a análise do torcedor Claydson Sabóia, admistrador do site TimbuNET, especializado na cobertura do Náutico:

Roberto Fernandes, um sonho realizado
por Claydson Sabóia

Torcedor alvirrubro que vivia no campo sempre apoiando seu time e discordando e muitas vezes não entendendo o que os treinadores faziam. Irritado com as bobagens do treinador, Roberto decidiu e prometeu a si mesmo que estudaria e se tornaria um técnico de futebol.

O tempo passou e depois de iniciar a carreira no próprio Náutico e então de peregrinar pelas divisões menores de São Paulo, Roberto trabalhou em outros estados e de repente foi o nome cogitado e a aposta para tirar o time da situação em que se encontrava em sua volta a Série A.

Ele não se fez de rogado e aceitou a proposta. Topou o desafio, veio, viu e venceu. Estudioso de futebol tanto em sua parte técnica e tática, é um grande conhecedor de jogadores e seus estilos de atuar. Tem muito ainda a aprender apesar de já dar mostras de que será mais um grande treinador do futebol brasileiro.

Ainda no início de 2008 foi indicado por Vanderlei Luxemburgo para assumir o Ipatinga. O único defeito apontado no treinador pela torcida é o de inventar substituições, o que na verdade é crítica de quem não conhece do riscado. Todas as vezes em que justificou as substituições ou escalações inusitadas ele foi coerente.

Já pela imprensa é tido como um pouco vaidoso e com momentos de ausência de modéstia, o que também se justifica por ser essa crítica vinda de uma imprensa de maioria rubro-negra e que não raramente não sabe separar os fatos e dar o merecido valor as coisas que dizem respeito ao Náutico e a tudo e a todos que o compõem.

Sabe bem de técnica e tática e joga sempre para frente e no 4-4-2, algumas vezes utilizou o 3-5-2. Costuma utilizar, dependendo do jogo, o 4-4-2 com três volantes, sendo um mais recuado atuando como terceiro homem de marcação para ter a opção de fazer a variação de sistema de um 4-4-2 para um 3-5-2 sem utilizar substituição. Para tanto, prefere utilizar jogadores versáteis e polivalentes o que facilita e muito a mudança de postura tática durante a partida.

Roberto Fernandes é um grande profissional e que tirou leite de pedra para salvar o clube do rebaixamento em 2007, com certeza deixa saudade e também carinho, gratidão e o desejo da torcida que ele obtenha muito sucesso em sua carreira.

Claydson Sabóia é torcedor do Clube Náutico Capibaribe e diretor comercial do site TimbuNET.



Últimas Notícias