25 maio 2008 - 20h05

Novo técnico, mesmos problemas

Não foi a estréia que o técnico Roberto Fernandes nem a torcida queriam. O Atlético pressionou e buscou a vitória, mas acabou ficando no empate por 1 a 1 contra o Atlético Mineiro, na Arena da Baixada. O Galo saiu na frente com um gol de Eduardo, mas cinco minutos depois Marcelo Ramos, também de cabeça, deixou o placar em igualdade.

O primeiro tempo do time rubro-negro ficou muito aquém do que a torcida esperava. Mesmo com as mudanças promovidas pelo estreante Roberto Fernandes, Chico na zaga e Rogerinho no ataque, o time não conseguia criar jogadas ofensivas. Já o Atlético Mineiro, que também tinha o técnico Alexandre Gallo como novato, estava mais preocupado em não tomar gols e pouco ameaçou a meta do goleiro Vinicius. Sem grandes chances de gols para ambas as equipes, o primeiro tempo terminou 0 a 0.

Buscando um maior poder ofensivo, o técnico Roberto Fernandes tirou Piauí e colocou o atacante Wallyson no intervalo. Mas nem mesmo com a mudança o Atlético melhorou na partida. Logo aos dez minutos da segunda etapa, Eduardo aproveitou uma desatenção da zaga atleticana e, em uma cobrança rápida de falta de Petkovic, fez de cabeça 1 a 0 para os mineiros.

Assim que tomou o gol, Roberto Fernandes sacou Rogerinho, que não teve uma boa atuação, e colocou o jovem Choco em campo. E foi ele que começou a jogada tocando para Wallyson, que cruzou da direita com precisão para Marcelo Ramos marcar de cabeça seu primeiro gol no Brasileirão e empatar a partida. Com a igualdade, o Rubro-Negro foi para cima e pressionou o adversário, mas novamente esbarrou na falta de criatividade do meio-campo e na qualidade técnica da equipe.

Aos 30 minutos da etapa final, Eduardo, autor do gol do Galo, foi expulso após acertar um chute no rosto do estreante Chico. O jogador ficou alguns minutos fora de campo sendo atendido. Pouco antes do fim do jogo, Irênio entrou no lugar de Chico, na última investida ofensiva de Roberto Fernandes. Mesmo sem mostrar um bom futebol, o Atlético ainda conseguiu criar duas chances de gol no final da partida. Uma delas com Danilo, de cabeça, e outra com Alan Bahia, que tentou um voleio. Mas em ambas ocasiões a zaga do Galo mineiro soube se segurar e manter o resultado. Não faltou vontade dos atleticanos, haja vista que muitos terminaram o jogo exautos. Mas ficou evidente a falta de qualidade técnica da equipe.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, quando enfrenta o Palmeiras, que também empatou por 1 a 1 com a Portuguesa, no Palestra Itália.

%ficha=637%



Últimas Notícias