8 jun 2008 - 18h36

Roberto Fernandes aprova novo esquema tático

O técnico Roberto Fernandes concedeu entrevista coletiva após a vitória por 5 a 0 sobre o Goiás na tarde deste domingo, na Arena da Baixada. Foi a primeira vitória do Rubro-Negro desde que o treinador assumiu a equipe. Aos que esperavam um time armado com dois meias e dois atacantes, Fernandes surpreendeu escalando uma equipe ofensiva, com três atacantes (Willian, Marcelo Ramos e Wallyson). O esquema não funcionou tão bem, mas mesmo assim o Furacão fez 2 a 0 logo no primeiro tempo. Na segunda etapa, o time passou a jogar no 4-4-2, com a entrada de Irênio no lugar de Wallyson.

Mesmo com os defeitos e falhas, Roberto Fernandes elogiou o empenho e a determinação dos atletas. Confira os principais trechos da coletiva:

NOVO SISTEMA TÁTICO
"A equipe vinha atuando de uma forma. Cada treinador tem uma filosofia de trabalho, a minha é essa: uma equipe mais agressiva. Evidentemente que observamos algumas coisas a serem melhoradas, mas acho que para um primeiro jogo foi muito bom."

TÁTICA X ESTRATÉGIA
"Existem duas palavras que parecem a mesma coisa, mas são distintas: tática e estratégia. A estratégia era iniciar, mesmo sabendo que correríamos risco de tomar gol, em cima do Goiás, buscar o gol no início da partida e buscar um resultado que nos desse a tranqüilidade para que pudéssemos compactar a equipe no segundo tempo, saindo só na boa."

PRESSÃO DO GOIÁS
"O Goiás veio com um atacante e cinco homens no meio. Então, se eu jogasse com cinco homens no meio e um atacante, talvez o Goiás não tivesse aquele volume de jogo. Em contrapartida, em muitos momentos que o Atlético foi pressionado, a zaga dele estava no mano a mano. Quer dizer, se você encaixa o contra-ataque de forma mais eficiente, poderia ter liquidado o jogo no primeiro tempo."

DIFICULDADES
"Mas é uma mudança. Até para ser ofensivo você precisa de tempo. Se este time estivesse jogando assim há quatro, cinco jogos, tenho certeza que teríamos liquidado esse jogo no primeiro tempo."

AJUSTANDO O TIME
"Essa vitória só foi possível pela determinação deles. Estão empenhados, estão buscando assimilar. O esquema mais completo é jogar com dois meias e dois atacantes ou um meia e três atacantes, porque não tem como marcar individual. O melhor treinamento para isso é o jogo, não tem outro jeito. Infelizmente, estamos fazendo o treinamento no meio do Brasileiro, mas não há outro jeito. O caminho é continuar treinando até buscar a melhor condição."

NETINHO
"É um planejamento que a gente sabe o risco que está ocorrendo. Isso não está sendo feito às escuras. Está sendo feito de forma clara e transparente. Avisamos que talvez o Netinho estivesse preso nos próximos três, quatro jogos. Mas isso é para a gente ganhar lá na frente. Se isso não for feito agora, quando a gente chegar em julho, agosto, ele não vai suportar os jogos. O planejamento é que ele atue um tempo só. Possivelmente nos próximos dois jogos fora de casa vamos manter esse trabalho, para que quando a gente volte a jogar em casa ele possa agüentar o mesmo ritmo de trabalho do Nei, do [Alan] Bahia, do Valencia e ai sim possa render."

MARCAÇÃO ADIANTADA
"Quando nós entramos com o Irênio foi exatamente para adiantar a marcação porque o Paulo Baier joga livre de qualquer posicionamento fixo e a verdadeira armação do Goiás vinha com o Pituca e o Ramalho. Então, quando a gente entrava na linha de volantes e zagueiros, dávamos espaço a esses homens. A entrada do Irênio foi para adiantar a marcação. Evidentemente que se sentiu um pouco de dificuldades porque foi o primeiro jogo com esse esquema. Mas tem de saber pressionar jogando também com o 4-4-2, não é só com três zagueiros que dá para pressionar mais."

REFORÇOS
"O Ferreira já vai estar à disposição e o Márcio Azevedo também vai estar. São dois jogadores que têm encaixe bom. São jogadores agressivos, rápidos, com boa movimentação. Evidente que eu tenho de trabalhar bem essa equipe na semana."

GRUPO JOVEM
"A gente olha eles como jogadores veteranos, mas o grupo é jovem. Tirando o Marcelo Ramos e o Irênio, o grupo é jovem. Então, trabalhar sob pressão com um grupo jovem não adianta nada. Graças à dedicação desses jogadores e ao empenho dele que propiciaram ao nosso torcedor uma bela vitória."



Últimas Notícias