26 abr 2009 - 17h50

Não foi desta vez

Em uma atuação ridícula na primeira etapa e muitas falhas durante o jogo, o Atlético foi superado pelo Coritiba por um elástico 4 a 2. Rafael Moura e Marcinho fizeram os gols atleticanos.

O Furacão entrou para o Atletiba com Julio Cesar formando o ataque com Rafael Moura. Exceto uma bola lançada na área coxa-branca logo aos 3 minutos, o Atlético nada fez na primeira etapa. A vitória alviverde começou a ser construída aos 6 minutos, quando Marcelinho Paraíba, na entrada da área, pegou o rebate de uma falta e abriu o placar. Aos 18 minutos, Marcelinho Paraíba acertou belo chute de fora da área na trave e quase aumentou para o Coritiba. Mas bastou 2 minutos para que o Coxa ampliasse. Netinho cometeu pênalti em cima da Marcio Gabriel, que Marcos Aurélio converteu.

Geninho promoveu três alterações no intervalo buscando a recuperação: entraram Lima, Wallyson e Marcio Azevedo no lugar de Julio Cesar, Julio dos Santos e Netinho. As modificações surtiram efeito e finalmente o Atlético passou a pressionar o Coritiba. Aos 12 minutos, Wallyson lançou Rafael Moura, que marcou na saída de Vanderlei. Oito minutos mais tarde, o Atlético chegou ao empate. Wallyson, o melhor jogador atleticano na partida, sofreu pênalti de Leandro Donizete. Desta vez Marcinho cobrou e colocou o Atlético em igualdade.

O Atlético passou a pressionar e fez a torcida presente na Baixada acreditar que o título poderia ser conquistado neste domingo, após a derrota do J. Malucelli para o Nacional. Porém, aos 35 minutos após um escanteio, a zaga atleticana falhou e a bola sobrou para Ariel colocar os alviverdes de novo em vantagem. O Furacão passou a ceder contra-ataques para o Coritiba, e foi em deles que o rival decretou a vitória, com Marlos.

Mesmo com a vexatória derrota, o Atlético depende apenas dele para levantar a taça. Caso o Atlético vença o Cianorte na última rodada, o título será rubro-negro. Antes, o Furacão enfrentará o Corinthians, na primeira partida das oitavas-de-finais da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira.

%ficha=701%



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…