10 maio 2009 - 17h59

Decepcionante

Sob vaias. Foi assim que o Atlético estreou no Campeonato Brasileiro 2009. Jogando mal, o Rubro-Negro paranaense foi surpreendido pelo Vitória e perdeu, em plena Arena da Baixada, por 2 a 0, iniciando com o pé esquerdo a sua trajetória no Brasileirão deste ano.

No primeiro tempo, o Atlético foi irreconhecível no gramado. Abusando nos erros de passe e não se movimentando diante da boa marcação do adversário, o Furacão foi facilmente envolvido dentro de campo. Aos 15 minutos, após a cobrança de escanteio dentro da pequena área de Jackson, o goleiro Galatto falhou e Wallace, de cabeça, abriu o marcador para o Vitória.

O gol deixou ainda mais nervoso o time atleticano, que não se encontrava em campo, criando poucos lances de perigo contra a meta defendida pelo goleiro Viáfara.

Na etapa final, Geinho colocou o time mais no ataque, com Wesley entrando no lugar do volante Renan. O Atlético conseguiu maior posse de bola e criou algumas boas chances no ataque. Mas aí esbarrou, ora nos erros de finalização, ora no bom sistema defensivo do time baiano.

Aos 11 e 12 minutos, o Atlético criou duas boas chances: primeiro na cabeçada de Rafael Moura, após excelente cruzamento de Jairo; depois, a boa sobrou dentro da área para Wesley, que chutou muito fraco, facilitando a defesa de Viáfara.

Nos contra-ataques, o Vitória levava perigo. Aos 23, Bida bateu cruzado, pela direita, com a bola passando muito perto do gol de Galatto. Nove minutos depois, Leandro Domingues cabeceou livre de marcação e acertou a trave. No fim do jogo, aos 43 minutos, a melhor pontaria do time baiano foi recompensada. Leandro Domingues recebeu a bola livre de marcação e fez 2 a 0 no marcador.

Agora, depois da derrota em casa, o Atlético tem a semana inteira para se preparar para a segunda rodada do Brasileirão. No próximo domingo, o time vai ao Morumbi onde enfrenta o São Paulo.

%ficha=705%



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…