5 jul 2009 - 18h02

Apagão e mais uma derrota na bagagem

Depois de três partidas, o Atlético de Waldemar Lemos foi derrotado pela primeira vez. Jogando em Porto Alegre, o Furacão sofreu três gols nos primeiros doze minutos de jogo, diminui aos 21, mas não conseguiu reagir na partida e sofreu o quarto gol no final do jogo. A derrota sofrida recolocou o Rubro-Negro na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 2009.

A vitória gremista foi desenhada logo no início do jogo, com três gols argentinos. Aos 4 minutos, Souza recebeu na esquerda e tocou para Fábio Santos, que avançou nas costas de Zé Antônio. O lateral gremista cruzou da linha da pequena área e Maxi Lopez tocou para o gol aberto, de baixo das traves. Menos de dois minutos depois, Antônio Carlos cortou mal e tirou Manoel da jogada; a bola sobrou para Fábio Santos cruzar na cabeça de Maxi Lopez, livre, cabecear cara a cara com Vinícius. Aos 11, o Grêmio avançou tocando pelo meio até que Herrera colocou no meio das pernas de Rhodolfo e tocou na saída de Vinícius.

Depois do apagão, o Atlético conseguiu seu primeiro ataque e gol aos 21 minutos. Márcio Azevedo deu um drible curto em Thiego, rente a linha de fundo, e rolou para trás; Marcinho tocou para Paulo Baier que encontrou Rafael Moura, em posição legal. O atacante dominou, ajeitou a bola e tocou para o gol, diminuindo o placar. O gol não animou a equipe atleticana e no primeiro tempo as melhores chances continuaram sendo do Grêmio.

Segundo tempo: chances perdidas e castigo no final

O técnico Waldemar Lemos alterou a equipe para a segunda etapa. Ainda no intervalo, colocou o meia Wesley no lugar no lateral-direita Zé Antônio. O Atlético foi pra cima e teve chances com Márcio Azevedo, em que Victor espalmou para escanteio, e Marcinho, que chutou em cima do goleiro. Lemos avançou o time ainda mais ao colocar o atacante Patrick no lugar do volante Chico aos 19 minutos. O Atlético pressionou, mas esbarrou na incompetência dos seus atacantes: Patrick, Rafael Moura, Wesley e Antônio Carlos perderam quatro oportunidades seguidas criadas pelo Furacão.

O antigo ditado do futebol mais uma vez se concretizou e o Atlético, que não fez, levou o quarto gol aos 40 minutos do segundo tempo. Maxi Lopez ganhou de dois jogadores na ponta direita e cruzou para o meio: Tcheco furou, mas a bola sobrou para Herrera, livre, chutar forte sem chances para Vinícius.

O Atlético volta a campo no próximo domingo, contra o Internacional, na Arena da Baixada. O técnico Waldemar Lemos não poderá contar com o atacante Rafael Moura, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, mas aguarda o retorno do lateral-direita Alberto, do meia Rodrigo Díaz e do atacante Wallyson, que estavam contundidos, além do zagueiro Rafael Santos e do volante Valencia, que cumpriram suspensão pelo terceiro cartão amarelo contra o Grêmio.

%ficha=713%



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…