25 jul 2009 - 13h23

A raça está de volta!

“Quem já foi rei jamais perde a majestade”. Velho ditado, mas facilmente aplicado a Claiton, que realizou exames médicos no CT do Caju nesta sexta-feira e voltará a vestir a camisa rubro-negra, que tanto encarnou com raça e determinação, enchendo os olhos da torcida atleticana. Com sua volta, a equipe volta a ter um comandante dentro de campo, chamando o jogo para si, tocando o time para frente e convocando os apaixonados torcedores a continuarem a festa nas arquibancadas.

Mas demorou para o volante voltar a ocupar o posto mais do que especial no coração dos torcedores. No começo do ano, surgiram boatos de que Claiton estaria negociando sua volta para o Atlético. Várias informações de bastidores davam conta de que o jogador estava em Curitiba e seria anunciado como reforço do Furacão para a temporada 2009. Porém, a diretoria atleticana desmentiu o interesse pelo jogador, inclusive afirmando que não seria anunciada mais nenhuma contratação neste início de temporada.

Mesmo com o desmentido, os boatos continuaram a circular. Emissoras de rádios e sites divulgaram que o acerto estava bem próximo de ocorrer. Ao mesmo tempo, o Consadole Sapporo fez a apresentação oficial do elenco e o único jogador ausente foi Claiton. O site do clube japonês informou que o atleta não poderia comparecer em função dos problemas de saúde de seu pai. Mesmo assim, os japoneses afirmaram que contavam com Claiton para esta temporada e anunciaram que ele trocaria a camisa 15 pela camisa 10 em 2009. Mas a novela ainda não havia terminado. Logo depois, o presidente Marcos Malucelli admitiu pela primeira vez que o clube estava interessado em Claiton, inclusive afirmando que houve um acerto em relação ao salário do atleta. Quando tudo parecia se encaminhar para um acerto, os japoneses recuaram e desistiram de liberar o volante, alegando que não teriam como repor a sua perda.

Assim, Claiton não conseguiu retornar ao Atlético no primeiro semestre deste ano. Há algumas semanas, ele voltou a manter contato com os diretores do clube e acelerou sua saída do Sapporo. Na semana passada, seu contrato com o time japonês foi rescindido e o caminho ficou aberto para o acerto com o Furacão. Ele chegou ao Brasil na terça-feira. Ontem, realizou um teste isosinético e uma avaliação espirométrica no CT do Caju. Com a aprovação nos exames médicos, foi liberado para assinar contrato.

De volta aos braços da torcida atleticana, o volante será apresentado à imprensa na tarde deste sábado na sala de imprensa da Arena, pouco antes do jogo contra o Avaí. Em entrevista publicada no site oficial do clube, antecipou a expectativa de voltar a vestir a camisa rubro-negra: “Espero passar uma energia positiva para o time para que as coisas fluam bem. E voltar à Arena para reencontrar a torcida vai ser muito bom. Estou esperando muito por isso. Mas logo quero voltar dentro de campo, correndo e jogando”.

Saída

Destaque no Atlético entre o segundo semestre de 2007 e o início de 2008, Claiton foi negociado com o Consadole Sapporo, do Japão, em fevereiro do ano passado. A saída do jogador foi muito polêmica porque ele era um dos líderes do elenco e peça fundamental no esquema do então técnico Ney Franco.

Sem Claiton no time, o Atlético viu escapar a chance de ser campeão paranaense na Baixada e foi eliminado logo na primeira fase da Copa do Brasil. Mesmo do outro lado do mundo, o volante jamais se desligou do mundo atleticano e acompanhava sempre os passos rubro-negros nas competições que disputou.

No ano passado, o Consadole Sapporo foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Japonês. Claiton retornou ao Brasil antes do término da competição em função de problemas de saúde de seu pai. Neste ano, o Sapporo é apenas o 9º colocado na segunda divisão, bem atrás dos líderes.

Ídolo

Claiton volta ao Atlético em um momento em que a equipe atravessa um momento delicado no Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro tem uma das quatro piores campanhas e está ameaçado pelo rebaixamento. O volante chega ao clube na mesma semana em que Alex Mineiro, outro ídolo da torcida, foi apresentado.

A expectativa é de que o time ganhe em experiência e liderança. Nos últimos meses, o nome de Claiton foi gritado pelos torcedores em diversas ocasiões. Tratava-se de um pedido por reforços e pela chegada de jogadores identificados com o clube.

Agora, o torcedor atleticano pode finalmente comemorar o retorno do Predador. Mas assistir a um jogo seu com a camisa rubro-negra levará mais alguns dias. Ele somente terá condições de jogo no próximo mês, com a abertura da janela para inscrição de atletas que estavam atuando no exterior.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…