13 set 2009 - 18h01

Assim não, Delegado

Após dominar grande parte do jogo, surpreendendo o Galo, em pleno Mineirão, e abrindo o placar, o Furacão cometeu erros primários e perdeu a partida por 2 X 1. Com o resultado, o rubro-negro se mantém com 28 pontos e volta a sofrer com o fantasma da zona de rebaixamento.

Sem poder contar com o volante Rafael Miranda por motivos contratuais, o treinador Antônio Lopes optou pela escalação de Welington no meio de campo, ao lado de Valencia e Paulo Baier. Além disso, o delegado promoveu a entrada de Wallyson no ataque, tirando do time o meia Marcinho.

Com as duas equipes buscando a vitória, o jogo começou muito movimentado, com jogadas de perigo de ambos os lados. Antes dos dez minutos de partida, o Furacão teve duas boas oportunidades para abrir o placar, uma em um cruzamento perigoso do capitão Paulo Baier e outra em uma chegada rápida do atacante Wallyson, que teve o lance anulado após driblar o goleiro mineiro e o bandeira anotar o impedimento.

Mesclando muita velocidade e uma marcação forte, o rubro-negro envolvia o time mineiro e não demorou para abrir o placar. Aos onze minutos, o meia Paulo Baier cobrou uma falta pelo lado direito do ataque do Furacão e com muita qualidade encontrou o atacante Alex Mineiro no meio da área, o camisa nove atleticano cabeceou com perfeição e marcou o primeiro gol da partida e o primeiro gol em sua volta ao rubro-negro.

Mesmo jogando bem, uma das poucas falhas da defesa do Furacão colaborou para o gol de empate do time mineiro. Aos 13 minutos, o lateral Carlos Alberto desceu sozinho pela direita e cruzou a bola para dentro da área do Furacão, a bola passou por Galatto e encontrou o atacante colombiano Rentería sozinho na pequena área para empatar a partida.

Após o gol de empate do time mineiro, o Furacão se encontrou novamente no jogo e dominou as ações da partida. Investindo nas chegadas de Paulo Baier, Wallyson e Alex Mineiro, o rubro-negro continuou assustando o Galo. Aos 17 minutos de jogo, após uma cobrança de escanteio realizada por Paulo Baier, Wallyson quase alcança a bola para desempatar o jogo. Aos 24 minutos foi a vez de Alex Mineiro cabecear sozinho, mas desta vez sem direção.

Com muita pegada no meio de campo e com a antecipação dos zagueiros, as equipes não encontraram mais espaço para jogar e a partida perdeu qualidade. Sem opções no ataque, os times só chegavam com chutes de longa distância e foi desta maneira que o jogo seguiu até o final do primeiro tempo.

Lopes erra e mata o Furacão

Na volta do intervalo, os treinadores Antônio Lopes e Celso Roth mantiveram os mesmos jogadores em campo e, assim como o início do primeiro tempo, a segunda etapa começou muito movimentada, com destaque para os contra-ataques puxados pelo atacante Wallyson, do Furacão, e pelo lateral Carlos Alberto, do Galo.

Aos 9 minutos, o atacante Diego Tardelli recebeu a bola na pequena área e bateu desequilibrado para grande defesa do goleiro Galatto, na sobra a bola caiu novamente nos pés de Tardelli que, desta vez, foi travado pelo zagueiro Manoel. Já aos 10 minutos foi a vez do Furacão dar a resposta. O atacante Wallyson recebeu a bola pela esquerda e após bela jogada foi derrubado pelo zagueiro mineiro. Na cobrança da falta, Paulo Baier bate com perfeição no canto esquerdo para grande defesa do goleiro Bruno.

Mesmo com o rubro-negro fazendo uma boa partida, o treinador Antônio Lopes, de maneira inexplicável, resolve alterar a equipe em dose dupla, colocando o volante Fransérgio no lugar de Welington e o meia Marcinho no lugar do atacante Wallyson, que até então era o melhor jogador do Furacão em campo. As “mexidas” do delegado chamaram o Galo para cima do Furacão e acabaram com as jogadas de ataque do rubro-negro.

Depois de pressionar no embalo de sua torcida, o time mineiro chegou ao gol de desempate. Aos 28 minutos, o volante Corrêa encontrou o atacante Diego Tardelli na entrada da área e, após matar a bola, o jogador acertou um belo chute no ângulo direito do goleiro Galatto.

Com a virada do Galo, o jogo esfriou e sem forças ofensivas o rubro-negro não conseguia chegar com perigo. O treinador do Furacão tentou mudar o panorama do jogo ao colocar o atacante Patrick no lugar de Wesley, mas a alteração não surtiu efeito e a partida acabou mesmo com a vitória do time mineiro.

Após a derrota deste domingo, o Furacão deixa de lado o Campeonato Brasileiro e volta a campo na próxima quarta-feira, em partida válida pela primeira fase da Copa Sul-Americana, contra o Botafogo, no Estádio Engenhão.



Últimas Notícias

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…