4 nov 2009 - 21h35

Kleber cita homenagem na Baixada ao falar do futuro

O atacante Kléber Pereira dificilmente permanecerá no Santos em 2010. Seu contrato termina no dia 31 de dezembro, e o jogador deixou claro, nesta quarta-feira, que está mesmo em ritmo de despedida. Ele confirmou que já foi procurado pela diretoria para falar sobre as suas intenções, mas não deu prosseguimento ao assunto. Diz que só vai se pronunciar após suas férias e avisou que sua permanência está atrelada à do técnico Vanderlei Luxemburgo, cujo contrato também termina no fim do ano.

– Tenho ótimo relacionamento com o Vanderlei e ele já me ajudou muito. Minha permanência depende muito dele.

Kléber demonstra estar chateado com parte da torcida do Peixe. Mesmo ostentando números expressivos (é o maior artilheiro santista em Campeonatos Brasileiros, com 48 gols), ele é insistentemente hostilizado por torcedores. E esse relacionamento conturbado pode pesar a favor de sua saída.

O atacante usa o exemplo do que aconteceu na última quarta-feira, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada. Campeão brasileiro pelo Furacão, em 2001, Kléber foi aplaudido pelos torcedores da equipe de Curitiba. Tanto que nem comemorou o gol que marcou no empate por 1 a 1.

– Chegar a um jogo e ser aplaudido por 18 mil pessoas que torcem para outra equipe faz você refletir bastante sobre o que quer da vida – comenta o jogador, que chegou ao Peixe após a Taça Libertadores de 2007.

Sobre a conversa com a diretoria, o jogador admite que houve o contato, mas não passou disso. Ele não quis deixar nada acertado para o ano que vem.

– Já conversaram comigo, mas quero esperar o fim do ano. Vou descansar com a minha família e, depois, resolver o que fazer.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…