15 nov 2009 - 21h35

Vacilos custaram caro

O Atlético perdeu para o Fluminense por 2 a 1 na noite deste domingo, no Maracanã. Buscando se livrar de vez do fantasma do rebaixamento, o Rubro-Negro optou por um esquema cauteloso, que acabou naufragando logo no início da partida, quando o time da casa abriu o marcador. Demonstrando as mesmas dificuldades ofensivas que marcam o time nesse Campeonato Brasileiro – tem o segundo pior ataque, superior apenas ao Santo André -, o Atlético não teve força suficiente para barrar o bom momento do time carioca e saiu do gramado com mais uma derrota na bagagem.

O primeiro tempo foi muito ruim para o Furacão. Encontrando muita dificuldade na saída de bola, o time começou o jogo abusando da ligação direta. Os lançamento dos zagueiros Rhodolfo e Éverton não surtiram nenhum efeito. Em certo momento, depois de mais um chutão de Éverton, a transmissão da televisão flagrou a reação do técnico Antonio Lopes: “Pra que isso?”.

Nervoso, o Fluminense também encontrou dificuldades nos primeiros minutos de jogo. Porém, acabou beneficiado com erros grosseiros do Atlético para abrir o marcador. Aos 17 minutos, o meia argentino Conca fez ótimo passe para o atacante Maicon, que se livrou da marcação de Rhodolfo, deu um drible desmoralizante em Éverton, foi ao fundo e deu passe açucarado para Fred, que completou de carrinho para o fundo das redes.

O Rubro-Negro acusou o golpe e sofreu um apagão de quase dez minutos, mal conseguindo passar do meio de campo. Passado o susto, o time fez uma blitz no gol do Fluminense e quase chegou ao empate. Após cobrança de falta de Paulo Baier, Nei desviou de letra para o gol, exigindo boa defesa do goleiro Rafael. Em novo levantamento, Wallyson emendou de primeira e outra vez o arqueiro carioca fez boa intervenção.

Aos 31 minutos, novo susto na torcida atleticana. O meia Conca levantou a bola na área, que resvalou na canela de Rhodolfo e sobrou livre para o atacante Maicon pedalar e quase ampliar o marcador – de bicicleta – para o time da casa. Galatto defendeu no susto e mandou a bola para escanteio.

Reação inócua

O Atlético voltou do intervalo mais encorpado, com o atacante Alex Mineiro no lugar do zagueiro Éverton. Tocando mais a bola e evitando os chutões, o time passou a ser mais efetivo e criou boas chances.

Logo aos 2 minutos, Wallyson foi lançado pela esquerda e, dentro da área, chutou de pé esquerdo. A bola passou à direita do gol, com perigo. Aos 16, Alex Mineiro quase desencantou. Após receber ótimo passe na meia lua, Alex ficou de frente para o gol e bateu colocado. A bola caprichosamente saiu rente à trave esquerda do goleiro Rafael.

Melhor no jogo, o Furacão dava mostras de que o empate era questão de tempo. Mas uma nova falha da zaga rubro-negra jogou um balde de água fria na reação do time. Conca deu passe pelo alto e deixou o atacante Maicon livre dentro da área. Com categoria, o atacante tricolor encobriu o goleiro Galatto. Rhodolfo não conseguiu cortar e, neste lance, o Fluminense praticamente assegurou os três pontos.

Aos 25, Antônio Lopes promoveu a entrada do jovem atacante Marcelo no lugar de Renan, que havia entrado ainda no primeiro tempo no lugar do lesionado Rafael Miranda.

O Atlético continuou esbarrando na defesa do Fluminense e também na fragilidade de seu ataque. O time carioca, por sua vez, seguiu dando trabalho à defesa atleticana, principalmente com Conca, Maicon e Fred. Aos 31 minutos, mais um susto. Após erro na saída de bola, o volante tricolor Diguinho roubou a bola e tocou para Conca. Fred chutou em cima de Galatto e o Atlético escapou de levar o terceiro.

Aos 38, quando o resultado já parecia definido, o jovem Marcelo, que fez apenas sua segunda partida pelo Atlético no Brasileirão, descontou para o Furacão. Em cobrança da falta, Paulo Baier levantou para a área. Após desvio de cabeça de Alex Sandro, Alex Mineiro teve tempo de dominar e rolar a bola para o chute seco de Marcelo, no canto direito de Rafael.

O gol animou o Rubro-Negro, que foi com tudo para cima do Fluminense, mas criou apenas mais uma chance, com Wallyson. Empurrado pelos mais de 50 mil torcedores, o tricolor carioca se fechou e garantiu a sexta vitória seguida, aumentando sua invencibilidade para 11 jogos. Com a derrota, o Atlético permanece com 43 pontos e cai para a décima quinta colocação, a três rodadas do fim do campeonato.

%ficha=741%



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…