27 fev 2012 - 18h07

O Furacão do primeiro turno

Quase três meses depois de ver o Atlético sendo rebaixado para a Segunda Divisão do Brasileiro, o torcedor atleticano pode, enfim, esboçar um sorriso. Com a vitória sobre o Paranavaí e o tropeço do Cianorte em Arapongas, o Furacão conquistou o primeiro turno do Campeonato Paranaense e devolveu a confiança aos torcedores. Além disso, carimbou vaga na final do Estadual, que agora aguarda outros 11 jogos e muitas emoções.

O Atlético conquistou oito vitórias, sofreu dois empates e perdeu apenas uma partida em 11 jogos, somando 26 pontos e obtendo a melhor defesa da competição, com apenas cinco gols sofridos. O ataque do Furacão também teve destaque, com 26 gols, o segundo melhor do torneio. Bruno Mineiro, com oito gols, também divide a artilharia do campeonato, ao lado de Henrique, do Cianorte. Outro Bruno, desta vez o Furlan, também se destacou na equipe, sendo líder em assistências (4).

Acompanhe abaixo os destaques do Atlético no primeiro turno do Paranaense:

A campanha

Superando dificuldades como jogar longe da Arena da Baixada, o time atleticano estreou no Campeonato Paranaense jogando no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa. A equipe comandada pelo técnico Juan Carrasco apostou em “velhos conhecidos” como Marcelo, Bruno Mineiro e Ricardinho e venceu o Londrina por 2 a 0. O Atlético iniciou a temporada com apenas cinco jogadores que começaram a última partida em 2011: Manoel, Héracles, Deivid, Paulo Baier e Nieto. Na segunda partida, o Atlético voltou ao Germano Krüger pra enfrentar o dono da casa, o Operário. E de novo, mais uma vitória, com gol relâmpago de Bruno Mineiro logo no começo da partida. O jogo também ficou marcado pela estreia do meia Harrison como profissional, a improvisação do atacante Pablo na lateral direita e o zagueiro Manoel como capitão da equipe.

Jogando no Gigante do Itiberê, a vítima da vez foi o Rio Branco. Jogando com uniforme todo preto em homenagem à Nillo Biazetto, o Rubro-Negro venceu pelo placar de 2 a 0, gols de Paulo Baier e Bruno Furlan, este, retornando à equipe depois de dois anos. Nesta partida, teve a estreia do volante Renan e o presidente Mário Celso Petraglia assistindo ao jogo nas arquibancadas, junto à torcida atleticana. A primeira goleada do Furacão no campeonato foi sobre o Roma, por 4 a 0. Jogando pela primeira vez em Curitiba, no Estádio Janguito Malucelli, o Atlético venceu com gols de Bruno Mineiro, que fez dois gols no primeiro tempo, Bruno Furlan, e depois Harrison, de pênalti. Foi o primeiro gol do jovem meia no profissional do Atlético.

Depois de quatro vitórias, veio o primeiro tropeço. Jogando no interior, o Atlético só empatou com o Cianorte, após sair vencendo pelo placar de 2 a 0. Foram os dois primeiros gols sofridos na competição. Com Gustavo como capitão, o time teve a volta de Edigar Junio atuando em campo e mais um gol de Bruno Mineiro em sua corrida pela artilharia. Com o alerta ligado, o Furacão enfrentou o Toledo na sexta rodada, novamente no Ecoestádio, e aplicou mais uma goleada no campeonato, novamente por 4 a 0. Homenageando Cireno, a equipe atleticana venceu com gols de Deivid (o primeiro como profissional), Martín Ligüera (primeiro no Atlético), Marcelo (primeiro no Estadual) e Manoel.

Jogando em Iraty, mais um triunfo rubro-negro, desta vez, por 3 a 0 e assumindo a liderança do Paranaense. Ligüera e Bruno Mineiro (duas vezes) balançaram as redes para o Furacão. De volta ao Janguito, outra goleada atleticana e pelo mesmo placar. Diante do Corinthians Paranaense, o Atlético venceu por 4 a 0, com gols de Ligüera, Bruno Furlan (2) e Bruno Mineiro.

A primeira e única derrota do Furacão no Estadual foi para o Arapongas, no interior, pelo placar de 2 a 1. Com improvisações, falta de peças de reposição e absoluta falta de inspiração, o Atlético saiu perdendo pela primeira vez na competição e acabou perdendo a invencibilidade. Em seguida, o tão esperando clássico Atletiba. Jogando pela primeira vez na Vila Capanema, o Rubro-Negro ficou no empate sem gols com o Coritiba, mesmo com o jogo bastante movimentado e com várias boas chances de gols para o Furacão. A partida ficou marcada pela má atuação, mais uma vez, do árbitro Héber Roberto Lopes, que não assinalou um pênalti em Bruno Mineiro.

O Atlético encerrou o primeiro turno vencendo o Paranavaí por 3 a 1, com gols de Bruno Mineiro, Martín Ligüera e Harrison, conquistando vaga na final do Paranaense. Foi a primeira vez que Carrasco repetiu a equipe em campo, atuando com: Rodolfo, Pablo, Manoel, Gustavo Araújo e Héracles; Deivid, Renan Teixeira e Martín Ligüera; Bruno Furlan, Bruno Mineiro e Ricardinho.

O ataque

Com 26 gols marcados, o Atlético ficou com o segundo melhor ataque da competição, atrás apenas do Coritiba, com 28. Bruno Mineiro, com oito gols, foi o artilheiro da equipe na primeira fase do campeonato. Bruno Furlan e Martín Ligüera marcaram quatro gols cada; Ricardinho, Manoel e Harrison balançaram as redes duas vezes cada. Quem também deixou o seu foram os meias Paulo Baier e Marcinho, o volante Deivid e o atacante Marcelo. O Atlético passou em branco em apenas uma partida, diante do Coritiba, na 10ª rodada.

A defesa

Cinco gols sofridos em 11 partidas. Este foi o retrospecto da defesa atleticana no primeiro turno do Campeonato Paranaense. O Atlético sofreu dois gols na partida contra o Cianorte, dois diante do Arapongas e outro no jogo com o Paranavaí. Manoel e Gustavo comandaram a defesa atleticana em dez oportunidades, já que o primeiro desfalcou na partida contra o Arapongas, cumprindo suspensão pelo terceiro cartão amarelo, dando lugar a Renan Foguinho. Além da consistência defensiva, Manoel auxiliou as ações ofensivas e marcou dois gols. No gol, Rodolfo vem tendo grande destaque debaixo da meta rubro-negra.

O time

Em 11 jogos, o técnico Juan Carrasco utilizou 22 jogadores. São eles: Rodolfo, Paulo Otávio, Manoel, Gustavo, Heracles, Deivid, Paulo Baier, Marcinho, Bruno Costa, Ricardinho, Bruno Mineiro, Nieto, Morro García, Marcelo, Renan Teixeira, Renan Foguinho, Harrison, Edigar Junio, Pablo, Bruno Furlan, Martín Ligüera e Léo.

Cartões

O Atlético contabilizou apenas uma expulsão em 11 rodadas, o lateral-esquerda Paulo Otávio, que deixou a equipe com um jogador a menos na partida contra o Iraty. O campeão dos cartões amarelos até o momento é Pablo, que já recebeu cinco advertências, seguido de Manoel com três e Héracles com dois. No total, o Atlético recebeu 16 cartões amarelos no primeiro turno.

Rodízio de capitães

O rodízio de capitães no time do Atlético no primeiro turno do Campeonato Paranaense foi uma das tônicas do treinador Juan Carrasco. Nada menos que oito jogadores dividiram a braçadeira nos primeiros jogos do Furacão na temporada 2012: Paulo Baier, Manoel, Gustavo, Deivid, Ricardinho, Héracles, Bruno Mineiro e Pablo.

Juan Carrasco

O comando de Juan Ramón Carrasco à frente do Atlético merece um tópico à parte. Desconhecido do futebol brasileiro, o treinador foi anunciado no final do ano passado e apresentado à imprensa no dia 4 de janeiro. Em enquete promovida pela Furacao.com, sua contratação teve a aprovação de 67,6% dos torcedores, enquanto 32,4% discordaram da chegada do técnico. Logo na chegada, passou semanas observando o elenco e sugerindo reforços, como aconteceu com a contratação do meia uruguaio Martín Ligüera, que já havia trabalhado com Carrasco no Nacional/URU e na Seleção Uruguaia. Além disso, fez questão de frisar que gostava de atletas polivalentes, que pudessem atuar em mais de uma posição.

Aos poucos, foi impondo seu estilo no comando da equipe e, principalmente, ganhando a confiança dos jogadores. Logo na primeira partida oficial do ano, o técnico utilizou nada menos que oito jogadores oriundos das categorias de base. Adotando um esquema com três atacantes, joga da mesma maneira tanto dentro quanto fora de casa, buscando sempre o ataque. Mas também fez improvisações. Na lateral-direita e sem contar com nenhum jogador de ofício para a posição, todas as fichas eram apostadas no zagueiro João Antônio, que atuou em um jogo-treino contra o Laranja Mecânica, de Campo Largo. Porém, quem envergou a camisa 2 foi o jovem Paulo Otávio, depois superado por Pablo, que atuou improvisado no setor no decorrer dos jogos, além de ajudar no meio-campo. O canhoto Bruno Costa atuou como lateral-direita, apesar de ser zagueiro. Com esta alteração, o improvisado Paulo Otávio se deslocou da direita para a lateral-esquerda, fazendo com que Héracles passasse a atuar mais avançado pela esquerda, como volante.

Harrison e Ligüera, os destaques

Os meias Harrison e Martín Ligüera foram um dos destaques do Atlético na primeira parte do Campeonato Paranaense 2012. O primeiro, inclusive, foi apontado pela torcida como o jogador que mais se destacou na competição, na opinião de 32.8% dos atleticanos que votaram em enquete promovida pela Furacao.com. Na sequência, o uruguaio recebeu 28% dos votos.

Destaque das categorias de base do Atlético, o Harrison fez a sua estreia na equipe profissional do Rubro-Negro na partida contra o Operário, em Ponta Grossa, válida pela segunda rodada do Campeonato Paranaense. Seu primeiro gol aconteceu diante do Roma duas rodadas depois. Harrison só não participou da estreia contra o Londrina e da partida contra o Rio Branco. Há duas semanas, ele prorrogou contrato com o Furacão até 30/11/2015.

Já Martin Ligüera, que chegou indicado pelo técnico Juan Carrasco, vem ganhando a simpatia da torcida atleticana. Experiente, vestiu a camisa 10 e ditou o ritmo do meio-campo atleticano. Estreou na partida contra o Toledo, quando entrou no lugar de Harrison aos 15 minutos do segundo tempo. E logo na primeira apresentação, mostrou que tem faro de gol e deixou sua marca, além de ter participado decisivamente de outros dois gols na goleada por 4 a 0. No jogo seguinte, contra o Iraty, Ligüera entrou no intervalo, novamente no lugar de Harrison, e voltou a balançar as redes. Marcou também contra o Roma e Paranavaí, ou seja, quatro gols em seis jogos.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…