6 maio 2012 - 18h07

Arbitragem prejudicou o Atlético mais uma vez

A torcida e a diretoria atleticana anteciparam, mas, diante do descaso da Federação Paranaense de Futebol precisaram ver a arbitragem, mais uma vez, falhar em lances capitais contra o Furacão. No clássico deste domingo, duas jogadas geraram reclamações dos atleticanos.

Logo no início da partida, o meia Lincoln, do Coritiba, agrediu o atacante Bruno Furlan, do Atlético. No lance, Furlan caiu com a cabeça em direção ao chão enquanto o adversário disparava um chute em direção ao atleticano, sem visar a bola. O árbitro Evandro Rogério Roman preferiu ficar na conversa e sequer amarelou o jogador do Coritiba.

Dois lances parecidos, em clássicos recentes, não foram tratados da mesma maneira. No Atletiba do segundo turno do Paranaense do ano passado, o mesmo Evandro Rogério Roman expulsou Manoel logo no início da partida em uma disputa de bola com o atacante Bill. Já no clássico do segundo turno deste ano, Guerrón foi expulso após agredir Lucas Mendes com um chute, em lance no qual Antônio Denival de Morais não marcou pênalti de Lucas Mendes no equatoriano.

Pênalti não marcado

Outro lance capital aconteceu na segunda etapa. O meia Zezinho recebeu a bola na direita, deu o drible em Lucas Mendes e foi atingido nas pernas. Roman, mais uma vez, mandou o jogo seguir, ignorando a penalidade máxima.

Clique aqui e veja o lance.

Durante a semana, a diretoria do Atlético se posicionou contra a arbitragem local, solicitando árbitros de outro estado. Recentemente, o Furacão também divulgou dossiê listando todos os jogos em que o Coritiba foi beneficiado neste Paranaense.

Apesar de todos estes acontecimentos, Roman não amarelou jogador algum durante os 90 minutos, fato raro em clássicos estaduais.



Últimas Notícias