15 ago 2012 - 0h01

Com gol de Paulo Baier, Atlético volta a vencer em Paranaguá

O time do Atlético entrou em campo nesta terça-feira (15), contra o time da Agremiação Sportiva Arapiraquense, com a missão de voltar a vencer em casa e permanecer vivo no Campeonato Brasileiro da Série B.

Jogando de maneira desorganizada, o Rubro-Negro tomou alguns sustos na primeira etapa, mas no segundo tempo conseguiu furar a retranca da equipe do ASA.

As entradas de Paulo Baier e Martín Ligüera mudaram o panorama do jogo. E foi dos pés do maestro que saiu o gol da vitória do Furacão, por 1 a 0, que garantiu três importantes pontos na luta pelo retorno à elite do futebol brasileiro. Confira abaixo um resumo da partida:

Início sonolento quase complica

Ao contrário do que se poderia imaginar, quem tomou a iniciativa no início do jogo foi o ASA. Aos três minutos, depois de um erro de passe no meio de campo do Atlético, Lúcio Maranhão recebeu livre, ajeitou e bateu rasteiro para boa intervenção de Weverton.

Logo em seguida, aos cinco, foi a vez de Roberto Jacaré receber em boas condições, cara a cara com o goleiro atleticano que, de forma arrojada, saiu nos pés do atacante da equipe alagoana e fez boa intervenção.

Depois disso, o setor defensivo do Atlético se reorganizou, mas a insistência da equipe em afunilar o jogo na meia cancha impediu que o time criasse jogadas ofensivas e a partida seguiu em ritmo sonolento.

A primeira e única chance do Rubro-Negro na primeira etapa aconteceu somente aos 37 minutos, com Marcão. O camisa 9 recebeu de Elias, limpou o zagueiro e bateu no canto do goleiro Gílson, que tirou com as pontas dos dedos.

Aos 39, outro susto. Didira arrematou de longe e a bola quicou no gramado, levando grande perigo. Weverton, atento, conseguiu espalmar para a linha de fundo.

Assim, o empate na etapa inicial acabou ficando de bom tamanho para o Furacão, que não conseguiu desenvolver as jogadas e ainda correu riscos defensivos.

Baier entra, organiza e resolve

Para o início da segunda etapa, o técnico Ricardo Drubscky sacou Felipe, que teve uma atuação apagada no primeiro tempo, e promoveu a entrada de Ricardinho. O time voltou mais disposto e determinado, mas esbarrava na forte retranca armada pela equipe alagoana.

Apesar de dominar o jogo durante todo o segundo tempo, o Atlético não conseguia criar oportunidades para chegar ao gol adversário e a partida continuava agoniante para a torcida rubro-negra.

Até que, aos 13 minutos, um dos refletores do Caranguejão apagou e o árbitro Raphael Claus paralisou a partida até que a iluminação fosse restabelecida. E foi a partir do apagão que a vitória atleticana começou a se desenhar.

Ao recomeçar o jogo, Paulo Baier entrou no lugar de Elias. Minutos depois, Martín Ligüera substituiu Luiz Alberto. Com as mudanças, o Atlético passou a pressionar o ASA até que, aos 39 minutos, o maestro resolveu. Baier aproveitou uma bola espirrada na entrada da área adversária e arrematou em direção ao gol; a bola rebateu na zaga e em Ligüera, voltando para os pés de Paulo Baier que, com categoria, invadiu a área e tocou no canto esquerdo do goleiro arapiraquense, garantindo a vitória atleticana.

Com o resultado, o Furacão voltou a vencer em casa depois de um mês e permanece vivo na competição. O Rubro-Negro continua na 9ª posição, agora a sete pontos do G4.

%ficha=926%



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…