3 nov 2012 - 17h23

Estamos voltando!

O Furacão voltou neste sábado (3) ao Anacleto Campanella, para mais uma decisão contra o São Caetano.

Acompanhado de perto por mais de 2.500 torcedores que compareceram ao estádio para empurrar o time, o Rubro-Negro se impôs desde o início da partida e conseguiu conquistar uma importante vitória, por 3 a 1, com gols de Marcão e Marcelo (2x).

Com o resultado, o Atlético chegou a 65 pontos na Série B, quatro a mais que o quinto colocado, que é o próprio São Caetano. O retorno à Série A nunca esteve tão próximo.

Confira como foi a partida:

Tranquilidade e amplo domínio na etapa inicial

Parecendo estar jogando em casa, quem tomou a iniciativa na partida foi o Rubro-Negro. A equipe do técnico Ricardo Drubscky adotou uma postura ofensiva desde o primeiro minuto em busca do gol.

No início do jogo, Henrique tabelou com João Paulo pela esquerda, invadiu a área perigosamente, mas foi desarmado. Em seguida, em lançamento de Pedro Botelho, o goleiro Luiz tentou segurar, mas deixou escapar e quase se complicou.

Aos três minutos, Danielzinho recebeu na esquerda, mas a zaga atleticana estava bem postada e Manoel afastou sem dificuldades. Aos quatro, Marcelo Costa tentou lançar para Somália, mas o atacante estava em posição de impedimento.

Sem se intimidar, o Furacão foi para cima e, depois de belíssima jogada que começou ainda no setor defensivo, Marcão abriu o placar aos 6 minutos. João Paulo passou para Marcelo, que tocou para Henrique e este, rapidamente, encontrou Maranhão na direita. O lateral ajeitou a bola, ergueu a cabeça e cruzou com precisão para o camisa 9 que, de cabeça, marcou seu 11º gol na Série B.

Aos 10 minutos, o São Caetano tentou responder com Diego, que chutou de longe, mas a bola saiu à direita da meta de Weverton. Aos 13, Augusto Recife arriscou da intermediária, mas mandou para muito longe.

Mas mesmo em vantagem no placar, o Atlético continuou pressionando e dificultando a saída de bola do Azulão, que não conseguia criar oportunidades e começou a ficar nervoso e cometer faltas.

E foi justamente depoi de uma cobrança de falta na intermediária que, aos 26 minutos, Marcelo ampliou o marcador. Elias lançou para Marcão, que escorou de cabeça para Marcelo, quase debaixo do gol, empurrar para as redes. O atacante chegou ao 15º gol na temporada, igualando-se a Bruno Mineiro na artilharia do Atlético.

Depois do segundo gol, o Rubro-Negro continuou com a mesma postura e não permitiu que o São Caetano levasse perigo à meta de Weverton, que foi para os vestiários sem ter feito nenhuma defesa difícil.

No segundo tempo, Rubro-Negro leva susto, mas reage e consolida vitória

Se na primeira etapa o São Caetano não criou quase nada, no segundo tempo começou tentando buscar o resultado, na base da correria, mas sem muita organização. Já o Rubro-Negro voltou mais tranquilo e diminuiu o ritmo, deixando espaço para o Azulão chegar ao ataque.

Aos quatro minutos, Geovane, que tinha acabado de entrar, fez falta violentíssima em Deivid, que saiu de maca de campo para ser atendido. O árbitro mostrou apenas o cartão amarelo.

Mas o São Caetano começou a gostar do jogo e criar oportunidades. Aos seis minutos, Pedro Carmona recebeu de Leandrão e tocou no cantinho de Weverton, que precisou se esticar todo para tirar a bola com a ponta dos dedos. Aos 10, lançamento na área e o goleiro atleticano tirou de soco.

Aos poucos, o Rubro-Negro foi tentando equilibrar a partida. Aos 19 minutos, Elias recebeu na direita e chutou forte em direção ao gol, para boa defesa de Luiz.

Porém, precisando correr atrás, o Azulão continuava insistindo em busca do gol. Assim, aos 30 minutos, depois de uma bobeada de Weverton, que saiu muito mal do gol, Wágner diminuiu para o São Caetano.

Com o gol sofrido, Drubscky resolveu finalmente mexer no time e, atendendo às mais de duas mil vozes que gritavam o nome de Paulo Baier, o treinador sacou Elias para a entrada do maestro. E o "velhinho", mais uma vez, foi decisivo.

Aos 33 minutos, logo depois de entrar em campo, o maestro recebeu na esquerda e tocou de três dedos para Marcelo que, de fora da área, acertou um belo chute, marcando o terceiro gol do Furacão e tranquilizando a torcida rubro-negra.

O Azulão sentiu o gol e não conseguiu reagir, facilitando para o Furacão, que quase ampliou com Henrique, aos 44 minutos, quando Luiz precisou fazer uma grande defesa para impedir o quarto gol rubro-negro.

No fim, a torcida atleticana pode comemorar mais uma vez no Anacleto Campanella. O resultado deixou o Rubro-Negro mais próximo do que nunca do retorno à Série A, a quatro pontos do quinto colocado e a cinco do líder.

%ficha=943%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

General é General…

Estamos em franca recuperação no Campeonato Brasileiro, jogando um futebol melhor, criando oportunidades, mas perdendo gols e deixando de tomar gols, em um momento, importantissímo……