25 nov 2012 - 21h38

Jogo do acesso teve novo recorde de público

Desde que passou a mandar jogos no Janguito Malucelli, o Atlético quebrou várias vezes o recorde de público do Ecoestádio.

Antes do início da temporada, o maior público presente no local foi de 2.173 pessoas que, em 26 de março de 2008, assistiram à vitória do J. Malucelli sobre o Coritiba, por 3 a 2. Logo no início deste ano, porém, o Rubro-Negro deixou essa marca para trás ao colocar 3.149 torcedores nas arquibancadas ecológicas do Janguitão, na goleada sobre o Roma, por 4 a 0, ainda no Campeonato Paranaense.

No Campeonato Brasileiro da Série B, mesmo com jogos à tarde em dias de semana, a força da torcida nas arquibancadas foi um dos fatores mais destacados pelos jogadores apos a conquista do acesso. E não foi à toa, já que em várias oportunidades ao longo da temporada o recorde de público no Ecoestádio foi batido.

Em 4 de setembro, em partida que marcou o retorno a Curitiba, o Atlético derrotou o BOA Esporte, por 2 a 1, diante de 3.823 torcedores no Janguito. Uma semana depois, na goleada por 4 a 1 contra o CRB, 4.038 presentes e, no dia 22 de setembro, 6.005 pessoas acompanharam a vitória do Furacão sobre o Ceará, por 2 a 1. Contra o Guaratinguetá, em 27 de outubro, mais uma goleada e mais um recorde: o Furacão fez 3 a 0 diante de 6.346 presentes no Ecoestádio.

Mas, como era de se esperar, o maior público da história do Janguitão foi no jogo decisivo deste sábado (24), contra o Paraná Clube, que culminou no retorno do Atlético à elite do futebol brasileiro: 6.609 torcedores acompanharam o empate por 1 a 1 que garantiu o acesso do Rubro-Negro à Série A.

Além de quebrar mais um recorde no estádio, a marca também permitiu ao Atlético ultrapassar o rival em média de público na competição, mantendo a escrita de jamais ter ficado atrás dos tricolores nesse quesito na disputa de uma competição nacional.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…