29 maio 2013 - 16h53

Incompetência!

Depois de ter deixado uma boa impressão na estreia do Campeonato Brasileiro, quando dominou a partida contra o Fluminense, mas acabou perdendo, o Furacão entrou em campo na tarde desta quarta-feira (29) com a necessidade de vencer o badalado Cruzeiro, que vinha de goleada contra o Goiás e liderava o certame.

Pressionando o adversário no início, o Rubro-Negro se impôs e conseguiu abrir 2 a 0, com gols de Pedro Botelho e Manoel.

Mas com duas bobeadas, uma aos 43 minutos do primeiro tempo e outra aos 14 segundos da etapa final, o Furacão permitiu o empate da Raposa e segue sem vencer na competição.

Amplo domínio atleticano na primeira etapa

Jogando diante de sua torcida pela primeira vez no retorno à Série A, o Atlético não se intimidou e foi para cima do Cruzeiro, pressionando desde o início da partida. Com boas jogadas no setor ofensivo, passando sempre pelos pés de Everton, o Furacão se impôs e, logo aos sete minutos, abriu o placar com Pedro Botelho. O jogador aproveitou a sobra depois de cobrança de falta de Felipe e bateu com o direito no canto esquerdo do goleiro Fábio para balançar as redes.

Mesmo com a vantagem no marcador, o Rubro-Negro continuou muito superior à Raposa, que não conseguia levar perigo à meta de Weverton. Aos 13, Deivid foi derrubado próximo à área adversária, mas Felipe cobrou mal. Aos 20 minutos, depois de uma bela jogada do ataque atleticano, Éderson chutou no cantinho para grande defesa do goleiro cruzeirense, que evitou o segundo gol do Furacão.

O Cruzeiro tentou reagir. Aos 23, Weverton espalmou a bola para a linha de fundo, após cobrança de falta. Na cobrança, Dedé conseguiu cabecear, mas o arqueiro rubro-negro segurou firme, no centro do gol. No contra-ataque, aos 25 minutos, Éderson foi derrubado dentro da área depois de cobrança de escanteio. Pênalti claríssimo para o Furacão, não marcado pelo árbitro André Luiz de Freitas Castro.

Minutos depois, mais uma falta para o Rubro-Negro. Aos 28 minutos, João Paulo ajeitou a bola e cruzou na medida para Manoel, o zagueiro artilheiro do Atlético no campeonato ampliar a vantagem: 2 a 0. E o Furacão continuou pressionando. Aos 35 minutos, grande chance de Everton, que fez boa jogada e arrancou em direção à àrea. O arremate, porém, saiu por sobre a meta.

Aos 41, Léo sentiu a virilha e, como o técnico Ricardo Drubscky optou por cortar Jonas, lateral substituto, do banco de reservas, quem entrou foi Derley.

E no final da primeira etapa, o castigo: depois de cobrança de falta, Dedé aproveitou a sobra e diminuiu para os mineiros, aos 43′.

Gol relâmpago do Cruzeiro deixa o Atlético atordoado

Diferentemente do que ocorreu no primeiro tempo, na segunda etapa quem voltou com tudo foi o Cruzeiro. Logo aos 14 segundos de jogo, Luan, que entrou após o intervalo no lugar de Dagoberto, empatou o jogo para os mineiros. Dois minutos depois, o mesmo Luan arriscou da entrada da área e Weverton fez grande defesa, mandando para escanteio. Na cobrança, Dedé tocou de cabeça e o goleiro atleticano segurou.

Percebendo as dificuldades que enfrentava sua equipe, Ricardo Drubscky resolveu mexer no time. Aos sete minutos, tirou Everton para a entrada de Douglas Coutinho. Na Raposa, Borges saiu machucado para a entrada de Anselmo Ramon.

Aos oito, Marcão cruzou da esquerda e Éderson chegou atrasado, o que prejudicou a finalização. A bola saiu à esquerda do gol. Aos 12, novamente Marcão apareceu bem ao receber na área e finalizar, mas Fábio espalmou para a linha de fundo.

Aos 16 minutos, Luan bateu forte da entrada da área e Weverton fez uma ótima defesa para impedir a virada da Raposa. Na sequência, Ederson recebeu bom lançamento na área, mas não conseguiu alcançar a bola, que saiu pela linha de fundo. Aos 17, Deivid recebeu pela direita e arriscou o chute, mas a bola passou à esquerda do gol de Fábio.

Manoel marcou mais um [foto: FURACAO.COM/Joka Madruga]


Sem conseguir aproveitar as chances, o Atlético ainda sofria com a boa movimentação de Anselmo Ramon, que incomodava a defesa rubro-negra. Aos 29, Marcelo desperdiçou grande chance de colocar o Furacão novamente à frente no marcador. No contra-ataque, o atacante cruzeirense arriscou o chute de longe, mas sem direção.

O Atlético seguiu tentando pressionar, mas sem conseguir criar grandes chances. Já o Cruzeiro, satisfeito com o empate, passou a segurar o resultado. Aos 37, Felipe recebeu em boas condições, mas chutou fraco e facilitou a defesa de Fábio. Aos 42, João Paulo levantou a bola na área em cobrança de falta, mas Fábio saiu do gol e ficou com a bola.

Assim o Rubro-Negro, que abriu boa vantagem e tinha o resultado em suas mãos, ainda foi pressionado e quase sofreu a virada, já que o Cruzeiro levou perigo à meta de Weverton nos minutos finais. No fim, os comandados de Drubscky deixaram o gramado da Vila Olímpica sob vaias dos mais de 4.000 torcedores presentes no estádio.

%ficha=976%



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…