4 ago 2013 - 18h57

Mancini: "O torcedor passa a confiar mais na equipe"

O técnico Vagner Mancini concedeu entrevista coletiva após a vitória por 2 a 0 contra o Goiás, na tarde deste domingo. Entre outros assuntos, Mancini abordou a importância de jogadores que saem do banco de reservas e correspondem às expectativas do técnico, como Éderson, um dos artilheiros do campeonato, e Zezinho. “Espero que todos os atletas tenham a mesma performance que Zezinho e Éderson hoje. Acho importante que quando você mexe o atleta entre e desenvolva o jogo que se espera”, disse o treinador.

Confira abaixo a coletiva do técnico do Furacão:

Atletas que entram durante a partida
"É importante quando você tem não só os 11, mas 16, 17, 18. Espero que todos os atletas tenham a mesma performance que Zezinho e Éderson hoje. Acho importante que quando você mexe o atleta entre e desenvolva o jogo que se espera. O Zezinho teve uma maneira de se portar que fez com que nossa equipe pudesse manter uma marcação no campo do adversário. O mais importante é que dentro do jogo a gente arrumou a equipe e os atletas estão de parabéns por terem cumprido".

Elenco
"Dá para dizer que 80% do grupo eu já sei o que pode me dar, até em termos emocionais. Mas na totalidade ainda não porque tem um ou outro atleta que ainda não jogou. É bom ter uma sequencia de vitórias porque eles ganham confiança e futebol é feito de confiança. É muito bom você viver uma fase dessas. Em oito dias, estávamos na ZR e hoje estamos em sétimo lugar. A entrega tem sido especial, não só por parte de quem joga defensivamente, mas de quem joga no ataque também".

Importância de vencer em casa
"Foi muito importante porque vínhamos numa campanha um pouco oposta do que o Atlético fazia, com vitórias fora e não em casa. Agora, o torcedor passa a confiar mais na equipe. Faltava essa vitória, acho que o elo para que o torcedor jogue junto com a gente era esse. Uma vitória dessas resgata o torcedor’.

Ciro e Fran Mérida
"Mais uma vez vou ter que responder pela terceira vez seguida pelo Ciro e pelo Fran Mérida, acho muito curioso que sempre vem essa pergunta. O Fran Mérida, assim com o Ciro, tem se dedicado nos treinamentos. Eu tenho 28 atletas, não dá para alterar a equipe em todos os jogos. Temos tentado dar um desenho tático a equipe e se eu trocar demais a equipe vai sofrer. Por opção minha, a gente vem usando outros atletas que vinham jogando mais. Na sequência, esses jogadores também vão ter essa oportunidade".

Próximo jogo
"O Bahia faz uma campanha muito boa. É um time muito bem armado, que vai nos impor muita dificuldade. Temos que ter muita concentração, acima de tudo".

Evitar a zona de conforto
"Nós temos nos atentado para dois fatores fundamentais. O primeiro é o cansaço dos atletas. Todas as equipes fazem os mesmos jogos, mas temos de tentar recuperar os jogadores até quarta-feira. E ao mesmo tempo a gente tem de ponderar algumas coisas que são muito importantes no futebol que são as armadilhas. Quando você vem numa sequência positiva, não pode permitir que a zona de conforto faça parte do nosso dia a dia. Temos de saber bem usar o lado mental dos nossos atletas para que quarta-feira sejam guerreiros novamente".

Éderson
"O Éderson tem se tornado um cara que tem decidido as partidas e isso é muito bom. Às vezes o jogador não entra no início das partidas, mas nem por isso é uma carta fora do baralho. O Dellatorre também nos ajudou e no segundo tempo incomodou mais a defesa do Goiás. Quando você tem uma equipe equilibrada, a gente sai de campo satisfeito porque vê uma evolução também no sistema tático".



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…