18 ago 2013 - 20h20

De virada é mais gostoso!

Em grande fase no Campeonato Brasileiro, o Furacão recebeu o Criciúma neste domingo (18), na Vila Capanema, com a expectativa colar de vez no G4. Mas se alguns esperavam uma vitória tranquila, não foi o que ocorreu em campo.

Jogando mal, o Rubro-Negro saiu vencido por 1 a 0 no primeiro tempo. Mas a conversa nos vestiários fez bem ao time que, na segunda etapa, mudou a cara do jogo e foi para cima do Tigre, conseguindo a virada com gols de Paulo Baier, de pênalti, e Éderson.

Com o resultado, o Furacão chegou à quinta posição na tabela e está a apenas um ponto do Corinthians, que com 24 pontos é o primeiro da zona de classificação para a Libertadores. Confira como foi a partida:

Jogando mal, Atlético leva susto no fim do primeiro tempo

O Atlético começou pressionando o Criciúma. Logo no início do jogo, Paulo Baier aproveitou trapalhada do Tigre, roubou a bola e tocou para Zezinho, que errou o cruzamento. Aos quatro, em cobrança de falta, o Maestro bateu muito bem e exigiu grande defesa do goleiro, que foi buscar na gaveta. Aos nove, mais uma vez Paulo Baier levou perigo à meta de Helton Leite, que espalmou a bola que ia no ângulo.

Aos sete minutos, um lance polêmico. Everton disparou pela esquerda e cruzou para Marcelo, que entrava livre na área, de frente para o gol. O atacante atleticano foi empurrado pelas costas, se desequilibrou e não conseguiu fazer a finalização, mas o árbitro Sandro Meira Ricci mandou seguir.

A partir de então, o Rubro-Negro foi dando espaço para o Tigre, que igualou as ações e passou a dominar o jogo. Aos 14, Serginho chutou da entrada da área e, depois do desvio, Weverton fez boa defesa para evitar o gol adversário. Um minuto depois, após cobrança de escanteio, Matheus Ferraz desviou de cabeça e acertou a trave, dando um susto na torcida atleticana.

Desorganizado, o Atlético não conseguia criar jogadas e sofria pressão do Criciúma, cometendo faltas para parar as jogadas. Aos 16, Léo deixou o braço e atingiu o adversário, recebendo o terceiro cartão amarelo. Aos 26, Bruno Silva também foi advertido depois de entrada dura em Serginho.

Aos 40, Marlon recebeu na entrada da área, ajeitou e bateu com efeito, buscando o ângulo de Weverton, mas errou o alvo. E aos 44, Sueliton arrancou pela direita, meteu a bola por entre as pernas de Léo e saiu na cara do gol, batendo à direita de Weverton para abrir o placar na Vila Capanema e decretar o placar do primeiro tempo.

Baier marcou o gol de empate na partida [foto: FURACAO.COM/Joka Madruga]

Na batuta do Maestro, Furacão volta melhor e vira o jogo

Depois do susto na primeira etapa, a conversa no vestiário pareceu surtir efeito e o Rubro-Negro voltou bem melhor para o segundo tempo. Com o estreante Carlos Alberto no lugar de Jonas e reorganizado em campo, o Furacão foi para cima do Tigre.

Aos cinco minutos, Everton fez boa jogada, conduziu a bola até a entrada da área e chutou forte, à esquerda da meta de Helton Leite. Aos oito, Paulo Baier cobrou falta da direita e Luiz Alberto cutucou de cabeça, para fora por muito pouco. Aos 10, Éderson cruzou da direita para Everton, que não conseguiu alcançar a bola.

Em resposta, aos 12 o Criciúma tento chegar com Serginho, que dominou a bola no meio de campo e passou para Lins, mas o jogador estava bem marcado e foi desarmado. Na sequência, Marcelo ganhou na velocidade do zagueiro, dominou a bola e foi derrubado por Gilson. Pênalti para o Atlético que, desta vez, o árbitro não hesitou em marcar.

Na cobrança, sempre ele. Paulo Baier, o Maestro atleticano, pôs a bola na marca da cal e ignorou as macaquices do goleiro, que tentava desviar sua atenção. Chutou com categoria, no canto, empatando o marcador para alegria da nação rubro-negra.

Aos 24, o Criciúma tentou responder com Sueliton, que bateu falta no canto alto de Weverton, mas o goleiro estava esperto e desviou para escanteio. Aos 26, Marlon tocou para Gilson, que invadiu a área atleticana, mas foi desarmado.

E logo em seguida, a redenção e a virada saíram dos pés de Éderson, o goleador atleticano e vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro. Aos 27, depois de esforço de Marcelo, que correu mais que a zaga, dominou a bola e cruzou para o camisa 77 desviar de cabeça, mandando a pelota para o fundo das redes: 2 a 1, para delírio dos mais de 9 mil atleticanos presentes na Vila.

Após o gol da virada, o Tigre tentou reagir, com o técnico Vadão promovendo alterações na tentativa de buscar o empate. Mas foi o Atlético quem continuou levando mais perigo. Aos 37, novamente uma boa jogada de Marcelo, que tocou para Éderson finalizar e ver a bola passar muito perto do gol. Três minutos mais tarde, João Paulo tocou para o camisa 77, que girou e bateu forte, à direita da meta de Helton Leite.

No fim, com a bela recuperação na segunda etapa, o Furacão alcançou o 8º jogo de invencibilidade no Campeonato Brasileiro e o 10º sob o comando de Vagner Mancini, que segue invicto no comando do Rubro-Negro. Mais do que isso, a vitória garantiu ao Atlético a 5ª posição na tabela e pôs o Rubro-Negro de vez na briga por uma vaga na Libertadores.

%ficha=991%



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…